Monte das Tabocas passou por uma sanitização nesta sexta, 16 (Foto: Alvaro Pegoraro/Folha do Mate)

Das 8h às 18h, as escolas estaduais de Venâncio Aires estão em regime de plantão há alguns dias. O motivo é esperar pelo caminhão que vai levar os materiais de limpeza e higiene e Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

Os itens são colocados como essenciais para que os educandários tenham condições de receber os alunos com segurança a partir de terça-feira, 20, quando está previsto o retorno às atividades presenciais do Ensino Médio no Rio Grande do Sul.

Mas, por enquanto, os veículos que percorrem o estado ainda não passaram pelo município. Segundo o coordenador da 6ª Coordenadoria Regional de Educação (CRE), Luiz Ricardo Pinho de Moura, isso deve acontecer até a próxima segunda, 19. “A entrega está acontecendo e a previsão da nossa região seria entre sexta e segunda. Mas, se houver atraso, as escolas podem usar os recursos da autonomia [também repassado pelo Estado] para comprar os materiais”, relatou Moura.

O coordenador também confirmou que todas as escolas de Ensino Médio de Venâncio voltam na semana que vem. Para isso, além dos materiais de limpeza, há outros requisitos para reabrir as portas aos alunos: cada escola ter um Centro de Operações Emergenciais de Saúde para a Educação (COE-E) local, o Plano de Contingência já autorizado e a assinatura do protocolo de sanitização.

Prevenidas

Sem a certeza de que receberão os itens a tempo, as escolas têm se organizado e já compraram alguns materiais. É o caso da Adelina Isabela Konzen, de Vila Estância Nova, que adquiriu termômetros, álcool gel, tapetes sanitizantes e fitas para limitar as distâncias. “Mas máscara ainda não tem”, destacou a diretora Adriana Jantsch Kroth. Na Adelina, dos 95 alunos matriculados no Ensino Médio, 11 devem retornar às aulas presenciais.

Já no Monte das Tabocas, no centro da cidade, ainda faltam termômetros, por exemplo. Na escola, o dinheiro da autonomia também já foi utilizado para compra de álcool e máscaras e o prédio passou por uma sanitização nesta sexta, 16, a qual custou cerca de R$ 700.

Segundo a diretora, Marinêz Weizenmann, a escola se programou para voltar na quarta-feira, 21, e serão recebidos cerca de 30 alunos. As aulas presenciais serão alternadas, com parte dos estudantes indo nas quartas e quintas e outros nas terças e sextas.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome