Escolas municipais de Mato Leitão voltam a ter aulas 100% presenciais

-

Nesta semana, após o período de férias de inverno, as aulas voltaram com a totalidade dos estudantes da rede municipal de ensino, na maioria das turmas. Outras ainda devem voltar nos próximos dias. O fim do escalonamento – com os alunos uma semana na escola e outra em casa – foi possível graças à redução da distância de 1,5 metro para um metro, entre os alunos.

A secretária de Educação, Cultura e Desporto, Isabel Cristine Machry, detalha que, na Educação Infantil, os níveis I, II e III, já estão com as turmas com aulas todos os dias, sem divisão em grupos, mas com separação de alunos por sala. Já os outros níveis IV, V e VI da Escola Municipal de Ensino Infantil (Emei) Vó Olga estão, até o momento, divididos em dois grupos: o grupo A vai uma semana para a instituição, enquanto o grupo B fica em casa e vice-versa. No entanto, na próxima segunda-feira, 16, essa divisão termina e eles também irão todas semanas para a escola. “Só precisamos do prazo de alguns dias, pois estamos fazendo contratação de novos profissionais para atuar na educação”, explica.

No Ensino Fundamental, todas turmas voltaram a ter aulas ‘normais’. O 1º e 2º anos também retornaram com o turno integral. Essas turmas, tanto da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Ireno Bohn quanto da Emef Santo Antônio de Pádua, foram divididas em mais salas de aula, em alguns casos, para evitar aglomeração dos estudantes. “O recreio também foi alterado. Temos mais horários, para que tenham menos pessoas no pátio. E sinalizamos alguns locais para cada turma.”

Novo momento

A diretora pedagógica Simone Silberschlag enfatiza que a decisão dessa retomada geral foi discutida por algum tempo entre os profissionais da educação. Como os casos de Covid-19 da região estão estáveis e a população está se vacinando, a secretaria optou por voltar às aulas com todos alunos. “A maioria voltou, temos poucos alunos que, por questões de saúde, optaram por ainda estudar de casa. Mas no geral, os pais, alunos e professores estavam pedindo essa liberação”, complementa Simone.

Ela avalia que no tempo em que não haviam aulas presenciais e quando eram por escalas, havia um prejuízo na aprendizagem, especialmente de quem estava em fase de alfabetização. “A criança precisa do estímulo do professor, das atividades educacionais e toda socialização. Vemos que houve um atraso nisso, que agora é nosso desafio. Mas, por outro lado, alguns alunos estão com mais autonomia”, compara.

Expectativa

Adrian Henrique Becker, 6 anos, não vê a hora de estar com todos os colegas. O aluno do nível VI da Emei Vó Olga está indo na escola uma semana sim, outra não, mas sente saudade dos colegas que não estão no mesmo grupo que ele. “Quero muito conversar com todos meus amigos, faz muito tempo que não está toda turma junto”, diz.

A mãe do menino, Mariele Cristine Gollmann, 32 anos, considera muito importante esse retorno, que acontecerá dia 16. Quando o Adrian não tem aula, ela precisa andar seis quilômetros, da casa da família, no Centro, até Arroio Bonito, onde a sogra reside. “É uma logística que precisamos fazer. Acordamos mais cedo e eu levo ele para o interior, pois minha sogra cuida do Adrian quando não tem creche”, observa.

A projetista ressalta que a socialização com os professores e com outras crianças é necessária para o desenvolvimento do filho, pois em casa ele fica mais estressado. “Vejo ele feliz agora, chega em casa com muitas novidades, feliz que estava na escola e fazendo trabalhinhos. Com a volta de todos, ele vai ficar ainda mais alegre.”

Mais informações

• Para que as aulas voltem em totalidade, cerca de 30 pessoas estão sendo contratadas, para atuar na área da educação.
• Os processos seletivos ainda estão em andamento, por isso algumas turmas da Emei Vó Olga só retomam as aulas normais no dia 16.
• A equipe de limpeza também foi reforçada para que todos cuidados sejam tomados.
• As crianças precisam levar uma máscara reserva na mochila, para ser trocada na metade da aula.
• Pessoas com sintomas de Covid-19 não devem ir para a escola e devem avisar a instituição.

Turmas de anos iniciais voltam de forma integral no Poncho Verde

As aulas da Escola Estadual de Ensino Médio Poncho Verde, retornaram ontem, 4, com novidades. Os alunos do 2º ao 5º ano do Ensino Fundamental não estão mais escalonados em dois grupos, as turmas voltaram com todos na sala de aula. O 1º ano também tem todos alunos no formato presencial, mas essa turma já estava com o modelo, pois são menos pessoas.

Para o diretor Paulo Ricardo Heinen, essa atitude do educandário era necessária para não afetar mais a aprendizagem dos estudantes. “Com dois grupos de alunos revezando as aulas por semana, os pais não conseguiam se organizar e para os professores também era ruim. Assim os alunos estão na sala de aula, com distanciamento, máscara e todos os cuidados”, argumenta.

Ele avalia que, no geral, 90% dos alunos estão optando por ter aula presencial, o restante está assistindo sempre virtualmente. “Os anos finais do Ensino Fundamental e o Ensino Médio continuam revezando, mas as turmas estão aderindo bem à aula presencial. Pela noite, já temos mais alunos optando por ter aula virtual, pois a maioria trabalha”, esclarece. Ao todo, o Poncho Verde tem cerca de 400 alunos.

Quando o Governo do Estado se manifestar sobre as aulas, se vai liberar ser todos presencial ou não, Heinen garante que a escola vai aderir, pois, segundo ele, todos esperam por esse retorno do ‘normal’.

LEIA MAIS:

Escola de Mato Leitão resgata cachorro e desenvolve projeto sobre cuidado aos animais

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Destaques

Últimas

Exclusivo Assinantes