estudante_aulas presenciais
Foto: Pexels/Divulgação

Governo do Estado, prefeitos, Ministério Público (MP) e Tribunal de Contas do Estado (TCE) se reúnem, na próxima semana, para debater o retorno das aulas presenciais no Rio Grande do Sul. A informação foi divulgada pelo governador Eduardo Leite, na tarde desta quinta-feira, 27, em transmissão ao vivo pelo Facebook.

Durante o pronunciamento, Leite reforçou que o Estado não fará nenhum movimento em relação ao retorno das aulas sem que haja segurança para os alunos. No encontro agendado para terça-feira, 1º de setembro, deve ser consolidada uma projeção de datas para o retorno presencial de cada uma das etapas de ensino. O objetivo do Governo é acompanhar e analisar a volta de cada uma das etapas, sempre observando protocolos e cuidados específicos.

O governador destacou que o retorno não prevê o formato de aulas realizado antes da pandemia do novo coronavírus. A proposta é que ocorra redução das turmas, dos horários de aula, recreios intercalados e entrada nas escolas com horários alternados para evitar aglomerações. “Ainda não temos essa questão fechada. Estamos discutindo e vamos buscar, de algumas forma, que haja esse retorno do contato entre aluno e professor presencialmente, em um sistema híbrido, no qual vai ter o ensino remoto e uma participação presencial, no sentido de aprimorar a forma de acompanhamento do professor da evolução dos seus alunos”, salientou Leite.

O secretário estadual de Educação, Faisal Karam, comentou que o retorno das aulas presenciais está sendo pensado há mais de quatro meses e é planejado por um grupo de trabalho formado por profissionais de diversas áreas. “Estamos acompanhando o que acontece no mundo e no país para que se possa ter os protocolos e EPIs que garantam segurança”, pontuou. Ele também disse que cada família poderá optar por deixar o aluno frequentar a escola.

LEIA MAIS: Internet patrocinada está disponível para alunos e professores da rede estadual

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome