Grupo de alunos realizou pesquisa em dez farmácias de Venâncio Aires (Foto: Aquivo pessoal)

A Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) José Duarte de Macedo realiza amanhã, 13, a mostra de trabalhos feitos por estudantes e professores. Os projetos serão expostos no ginásio da instituição de ensino, no bairro Macedo, a partir das 9h30min, em um evento aberto para a comunidade.

Entre os projetos estará o desenvolvido pela professora de Matemática Tayná Luiza Henn, 24 anos, junto com os alunos do 9° ano, Emanuela Lopes da Silva, Maciel Chaves e Eduarda Kaufmann, todos de 14 anos.

O grupo iniciou, em abril, a pesquisa ‘Análise de descarte de medicamentos vencidos ou em desuso no município de Venâncio Aires’, que visa conscientizar e educar a comunidade sobre o descarte correto. “É uma oportunidade para os pais e a comunidade conhecerem o que está sendo feito em sala de aula”, comenta a professora.

Após estudos, os alunos realizaram uma pesquisa no Hospital São Sebastião Mártir (HSSM), Posto de Saúde Central, Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e farmácias do município. Eles descobriram que nas farmácias existe lixo ideal para fazer o descarte, mas das dez que visitaram, apenas uma tinha à disposição do cliente – nas outras, é possível pedir e deixar os medicamentos para descarte.

“Falta divulgação sobre como descartar os medicamentos”, comenta a professora Tayná. Eles ainda lembram que as farmacêuticas comentaram que esse lixo ideal tem um custo maior e normalmente é terceirizado. “O custo pode ser elevado, porém sai mais caro o dano que causa ao meio ambiente”, acrescenta Eduarda.

QUESTIONÁRIO

Durante o processo de pesquisa, o grupo fez um questionário online que vai estar disponível até agosto. No momento, cerca de 430 pessoas já responderam, destas mais de 80% falaram não saber como descartar os medicamentos, assim como os alunos não sabiam. “Eu achava que não fazia mal, então jogava no lixo normal”, diz Eduarda. “Agora, começamos a cuidar e comentar com nossos pais que temos que colocar no lugar certo”, lembra Emanuela.

A intenção do grupo é expandir os conhecimentos, passar as instruções para a escola e fazer um ponto de coleta no local. A professora Tayná, que orienta o projeto, comenta que, como é um assunto que foge da área de Matemática, ela está aprendendo junto com os alunos. “Foi um desafio sair um pouco da minha área. Nós quatro vamos aprendendo e repassando os conhecimentos juntos”, destaca.

80%

das pessoas que responderam o questionário dos alunos, até agora, disseram não saber como descartar os medicamentos. O indicado é que eles sejam descartados em uma farmácia ou posto de saúde, que têm coletores específicos.

CURIOSIDADES

1- O descarte incorreto de medicamentos contamina a água e o solo, afetando diretamente o meio ambiente.

2- Cada quilo de medicamento descartado incorretamente contamina cerca de 450 mil litros de água.

3- Na água, os hormônios dos medicamentos podem mudar o sexo dos peixes de masculino para feminino.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome