Prefeitura de Venâncio ofertará aulas técnicas para EJA diurno em 2020

-

Alunos entre 15 e 18 anos, a partir de 2020, não poderão mais frequentar aulas noturnas da Educação de Jovens e Adultos (EJA). Por conta desta adequação, o Município organizou um projeto em parceria com o Instituto Federal Sul-rio-grandense (IFSul) que prevê, além das matérias curriculares, aulas técnicas no campus de Venâncio Aires.

Na prática, por quatro dias da semana, os estudantes da modalidade frequentam a sala de aula de um educandário municipal, que ainda será definido. E, em um dia, provavelmente nas segundas-feiras, se deslocarão ao IFSul, onde participarão de aulas de qualificação técnica que farão parte do currículo.

O deslocamento será subsidiado pelo Município. As aulas técnicas somarão 200 horas e, quando completadas, o aluno receberá o certificado de conclusão pela Secretaria de Educação e pelo IFSul. Para definir a escola que abrigará o EJA diurno em 2020, a Secretaria de Educação vem realizando levantamento da demanda para analisar qual será o melhor espaço físico para sediar as aulas, divididas por áreas de conhecimento com professores com perfil para este público.

Matrículas novas, para o EJA noturno, serão aceitas apenas para pessoas com idade acima dos 18 anos, nas escolas Dois Irmãos e José Duarte de Macedo. Os alunos que este ano estão na rede estadual poderão em 2020 frequentar a EJA diurno, desde que tenham 15 anos completos.

Para tanto, assim que as escolas destinadas a atender a EJA diurno forem divulgadas, a família poderá procurá-las para efetivar a matrícula do aluno. A Secretaria de Educação divulgará em novembro o período das matrículas para ambas as turmas. “É perceptível que o jovem não tem mais sonhos e perspectivas para se qualificar para o mercado de trabalho. Então, acreditamos que este acréscimo vai trazer bons resultados”, salienta a coordenadora pedagógica da Secretaria de Educação, Alice Theis.

SAIBA MAIS

  • A EJA é uma modalidade para jovens e adultos de ensino fundamental e médio voltado que não completaram a educação básica. “Quando surgiu, em 1988, era para ser algo provisório. No entanto, temos muitos adolescentes e jovens que não estudaram no período hábil e migram para este programa. Ficou como algo permanente”, explica Alice Theis.
  • A EJA regular é voltada para jovens acima de 15 anos que não se adaptam ao diurno por falta de interesse ou não têm rendimento satisfatório. Já o EJA Intensivo é destinado para pessoas acima de 23 anos que têm a oportunidade de concluir o ensino fundamental em um ano.

1 COMENTÁRIO

  1. Gostei da proposta que é muito interessante sou coordenador da EJA aqui na minha cidade e tenho muita dificuldade para que os alunos per manecam na escola e vivem sem perspectiva e este projeto vai resgatar a auto estima deles

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Destaques

Últimas

Exclusivo Assinantes