Encontro inicial que tratou do tema em Venâncio Aires foi realizado ontem na Escola Cidade Nova (Foto: Divulgação)

O modelo de escola cívico-militar, criado pelo governo federal, propõe uma gestão escolar compartilhada entre educadores e militares. A meta do Ministério da Educação (MEC) é construir 216 escolas neste modelo em todos os estados até 2023. No Rio Grande do Sul, duas serão implementadas a partir do próximo ano na rede estadual de ensino. Mas Venâncio Aires também quer atrair esse modelo educacional.

Além de Caxias do Sul e Alvorada, a Capital Nacional do Chimarrão quer ser a terceira cidade gaúcha a conquistar uma escola cívico-militar dentro dos moldes propostos pela União. A intenção é implementar esse modelo no bairro Cidade Nova. Para tanto, uma reunião com pais e alunos da Escola Municipal Cidade Nova, no dia 24, às 19h, discutirá o tema.

Um abaixo-assinado com mais de 200 assinaturas já foi recolhido pela comunidade escolar local em que é reforçado o interesse no modelo educacional. Palestrará no dia 24 o deputado estadual Tenente-Coronel Zucco (PSL), que é o autor do projeto de lei que prevê a instalação dessas escolas em cidades gaúchas. Pelo projeto, militares da reserva da Brigada Militar e Forças Armadas terão funções de monitoria em escolas públicas, a partir de convênios com os municípios.

“O objetivo é resgatar alguns princípios como disciplina, ordem e valorização dos símbolos da pátria”, explicou o deputado em pronunciamento na assembleia. Os militares da reserva não terão qualquer ingerência no conteúdo pedagógico. “A função de monitoria prevê que os militares organizarão atividades ligadas à valorização da pátria e à segurança de alunos, pais, professores e funcionários”, concluiu o deputado.

O assunto foi tratado em reunião realizada ontem na escola. A direção do educandário foi recebida pela secretária de Educação de Venâncio Aires, Joice Battisti Gassen, e pelo coordenador do gabinete de transição da Secretaria de Segurança Municipal, Dário dos Santos Martins, que é também o secretário-executivo do Gabinete de Gestão Integrada Municipal, além de coordenador do Departamento de Trânsito.

O MODELO 

  • A Escola Cívico-militar é um modelo de estrutura educacional que trabalha com civis na parte de ensino e pedagógica e com militares que colaboram na formação dos cidadãos. A ideia é incorporar aos alunos atitudes e valores (familiares, sociais e patrióticos), trabalhando para que o cidadão em formação tenha consciência de seus deveres, direitos e responsabilidades, como forma de preparar o estudante para qualquer campo profissional no qual venha a atuar no futuro.
  • Além disso, tem como meta a resolução de pequenos conflitos que serão prontamente gerenciados, para a garantia da proteção individual e coletiva, entre outras, visando a disciplina geral da escola.
  • Usa a contribuição dos civis com seus conhecimentos pedagógicos, e dos militares com sua visão organizacional e intrínseca disciplina. O Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares do governo federal pretende implementar 216 escolas cívico-militares até 2023.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome