Trevo de Venâncio Aires é ponto de constantes acidentes (Foto: Alvaro Pegoraro/Folha do Mate)

Comitiva de Venâncio Aires teve encontro com integrantes do Governo do Estado, ontem, no qual foram abordadas reivindicações envolvendo as RSCs 453 e 287. A agenda ocorreu pela manhã e foi realizada na Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR). As duas principais rodovias que passam pela Capital Nacional do Chimarrão recebem um fluxo crescente de veículos e necessitam de intervenções pontuais.

Na reunião foram apresentados ao presidente da EGR, Urbano Schmitt, dados e os principais locais de acidentes da RSC-287. Nos últimos 11 anos, foram 66 vidas perdidas no trecho da rodovia que passa pela Capital do Chimarrão, cinco delas no trevo de acesso à cidade. Schmitt anunciou que a partir dos pedidos da comitiva local, engenheiros da estatal serão deslocados para Venâncio Aires com o objetivo de averiguarem a real necessidade de intervenções no trevo de acesso ao município. A comitiva reivindica que a construção de uma rótula fechada é a solução mais rápida e eficaz para o local.

A secretária municipal de Planejamento e Urbanismo, Jalila Stahl Böhm Heinemann, reivindicou também reforço na iluminação pública do trevo. O presidente da estatal também garantiu reforço da sinalização nas proximidades do Restaurante Casa Cheia (quilômetro 81), em Linha Bem Feita, e na Escola Adelina Isabela Konzen (quilômetro 68), em Vila Estância Nova. Próximo ao restaurante foi solicitada a colocação de um controlador de velocidade.

Outra liderança que participou do encontro foi o vereador Tiago Quintana (PDT). “O maior resultado foi trazer o compromisso da EGR de que vai estudar tecnicamente a demanda principal que foi levada, que é o fechamento da pista central do trevo no sentido Capital/interior. Entendemos que a velocidade com que os carros passam nessa faixa central contribui muito com os altos indicies de acidentes”, avaliou.

CONCESSÃO

Sobre a RSC-287, o presidente da EGR disse que está na iminência se ser publicado o edital para sua concessão à iniciativa privada. Mais do que contemplar a duplicação para Venâncio Aires, consta como obra prioritária, revela o presidente da estatal, edificação de um viaduto e uma passarela. Também recepcionou a comitiva o secretário Extraordinário de Parcerias, Bruno Vanuzzi.

PARA A 453, TREVO NO BRANDS É A MAIOR REIVINDICAÇÃO

A segunda rodovia que recebeu atenção especial na região foi a RSC-453. No trecho urbano, em Venâncio Aires, diariamente transitam 11 mil veículos. Diversos foram os pontos de intervenção reivindicados, mas o principal foi a construção de um trevo no acesso ao bairro Brands. Contudo, a obra foi classificada como complexa. O custo foi estimado em mais de R$ 1,8 milhão, por já precisar prever também a duplicação da rodovia.
No encontro a comitiva local também renovou pedido sobre a necessidade de deslocamento de uma lombada eletrônica instalada na RSC-453. A intenção é realocar equipamento de controle de velocidade instalado na entrada dos bairros Coronel Brito e Cruzeiro para o trevo do bairro Battisti, que fica na mesma rodovia.
O deslocamento da lombada depende, no entanto, de estudo técnico, que é de responsabilidade da estadual. O grupo que esteve em Porto Alegre justificou que a partir da efetivação da sinaleira entre os bairros Coronel Brito e Cruzeiro, a lombada eletrônica ali instalada perdeu efetividade.

DEMAIS PARTICIPAÇÕES

Ainda representou o Executivo, o coordenador do Departamento de Trânsito, Dário dos Santos Martins, e do Legislativo estiveram presentes os vereadores Nelsoir Battisti (PSD), André Puthin (MDB) e Sid Ferreira (PDT). Da Polícia Rodoviária Estadual de Santa Cruz do Sul estiveram presentes o comandante Sílvio Erasmo Souza da Silva e o sargento Railander Negrini.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome