Ontem, foi celebrado o Dia Mundial da Luta Contra a Aids. De acordo com dados da secretaria da Saúde, em Venâncio Aires, há 410 pessoas cadastradas que inclui o número de óbitos; 255 pacientes ativos e 185 que tomam os medicamentos.

A coordenadora do Centro de Atendimento de Doenças Infecciosas (Cadi), Solange Sehn, chama atenção para que as pessoas façam o teste da doença, pois é rápido, gratuito e está disponível no Cadi e em todos os postos de saúde. De acordo com ela, o Rio Grande do Sul está entre os estados do país que mais tem registrado casos da enfermidade. A maioria das pessoas, conforme Solange, descobre o vírus já em estado avançado. A pessoa diagnosticada com soropositivo fica suscetiva à pneumonia, toxoplasmose cerebral, tuberculose, entre outros.

“Mesmo com as campanhas, os números são preocupantes. Temos que fazer ainda um grande trabalho de prevenção. Há dificuldade para as pessoas se conscientizarem.” A doença é adquirida por meio de relações sexuais sem o uso de preservativo, por meio de transfusão de sangue, compartilhamento de seringas contaminadas e de instrumentos que furam ou cortam que não estejam esterilizados e de mãe para filho durante o parto.