Estado reduz em 6,6% as mortes no trânsito

-


Estado reduz em 6,6% as mortes no trânsito

O dia 11 de maio marcou o primeiro ano da Década de Ação pela Segurança no Trânsito, período que a Organização das Nações Unidas (ONU) determinou para seus países membros cuidarem da segurança viária. A missão é de reduzir em 50% as vítimas de acidentes fatais até 2020. A data marcou a cerimônia de lançamento no mundo todo, mas no Rio Grande do Sul as ações começaram antes, no início de 2011.E os resultados já podem ser sentidos nas estatísticas: de 2.167 vítimas fatais em 2010, o RS passou a 2.025, em 2011, uma redução histórica de 6,6%, apesar do aumento da frota e da população.

Em Venâncio Aires, as estatísticas mostram uma diminuição gradativa dos acidentes de trânsito com vítima fatal nos últimos três anos. Em 2010, por exemplo, foram registradas quase duas mortes por mês. Foram 20 ao total, a maioria envolvendo motociclistas. Este dado se repetiu em 2011, com 13 óbitos no trânsito, mais da metade deles envolvendo motocicletas. Este ano, a polícia já registrou seis mortes em decorrência de acidentes de trânsito no Município.

Conforme a assessoria de comunicação do Detran/RS, levantamento do primeiro quadrimestre de 2012 mostra que a tendência se mantém. Houve uma redução de 5,7% em relação ao mesmo período do ano passado. Comparada ao primeiro quadrimestre de 2010, a redução é de 14,7%. Em números absolutos, isso significa que, de janeiro a abril deste ano, morreram 111 pessoas a menos que no mesmo período de 2010. Embora os dados de abril ainda sejam parciais (não contabilizando os 30 dias pós-acidente), o número é representativo, já que a maioria dos registros de óbitos se dá nos dez dias que se seguem ao acidente.A redução não pode ser creditada a um só fator ou ação, mas à mobilização de vários setores da sociedade (e sua integração) em favor da causa. Os olhares estão voltados para o problema, especialmente à questão da alcoolemia, uma das recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS). Afora as iniciativas locais, dois projetos de lei estão em discussão no Congresso Nacional para modificar o Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e endurecer a Lei Seca – uma reação à recente decisão do STJ, de não aceitar a prova testemunhal para fins de responsabilização criminal. Também o STF discute a questão em audiências públicas.

No Rio Grande do Sul, a ‘Balada Segura’, que teve início em fevereiro de 2011, já abordou mais de 30 mil condutores e autuou cerca de mil motoristas alcoolizados. Começou na Capital e, em 2012, estendeu-se para Canoas, Alegrete e, mais recentemente, a Ijuí. Até o final do ano, a previsão é que mais nove municípios adotem a Operação.

Investimentos em planejamento e controle estatístico também foram ações adotadas no Estado e que estão fazendo a diferença. Com o acompanhamento das vítimas até 30 dias após o acidente, é possível se ter um retrato mais fiel da tragédia do trânsito. O mapeamento foi realizado retroativamente até 2007, constatando-se que, pelo menos 30% das vítimas ficavam de fora das estatísticas de trânsito.

Um estudo realizado pelo Detran/RS, analisando-se os acidentes com mortes, no período de 2007 a 2010, constatou que a taxa de mortes nos feriados foi de 4,7/dia, enquanto na média é de 3,9/dia. Também detectou que grande parte desses acidentes ocorriam em 19 pontos críticos das rodovias gaúchas. Com isso, foi criada a Operação Viagem Segura, que integrou órgãos de trânsito federais e estaduais em ações intensivas de fiscalização nas estradas. Em sete feriadões de funcionamento da Operação, foram mais de 1 milhão de veículos abordados (cerca de 1/5 da frota gaúcha).

O Presidente do Detran/RS, Alessandro Barcellos, considera que essa integração entre os órgãos, elemento presente em todos as ações adotadas no RS para combater a violência no trânsito, foi fator fundamental para os resultados positivos. Para coordenar essas ações e programas que integram órgãos de diversas esferas e competências foi criado o Comitê Estadual de Mobilização pela Segurança no Trânsito, ligado ao Gabinete do vice-Governador, colocando a segurança do trânsito em posição estratégica.

CURRíCULO ESCOLAR

Em Venâncio Aires, o Departamento de Trânsito (DT) definiu que o tema trânsito fará parte do currículo escolar. A partir do segundo semestre deste ano, uma equipe liderada por Rodrigo Decker, coordenador de educação para o trânsito no Município, visitará as escolas municipais para ver a realidade de cada uma. O próximo passo é capacitar os professores para que o trânsito seja ensinado em sala de aula a partir de 2014. A intenção é repassar noções de trânsito aos alunos durante todo o ensino fundamental.Paralelo a esta campanha mundial, o DT criou a Escola de Trânsito. Ela será montada em uma área onde funciona a Secretaria de Obras, no bairro Aviação. A intenção é de que alunos de todas as escolas do Município, assim como empresas e funcionários da administração municipal, tirem dúvidas e aprendam um pouco mais sobre o trânsito. (Fonte – Detran/RS)

Destaques

Últimas

Exclusivo Assinantes