Nestes 24 anos de emancipação, Vale Verde cresceu, e está se desenvolvendo com qualidade de vida (foto: Rodrigo Klamt)

Muitos não sabem o motivo de Vale Verde comemorar seu aniversário de emancipação político-administrativa no dia 22 de outubro. É que a data foi escolhida, votada e aprovada por unanimidade pelos vereadores do primeiro mandato, eleitos em 1996, e que iniciaram com seu trabalho legislativo em janeiro de 1997.

Na época, eles entenderam que o dia 22 de outubro era o momento mais importante, no contexto que levou à emancipação dos distritos de Vila Melos e Monte Alegre e, consequentemente, à efetivação do Município. Porém, tudo teve início no dia 27 de abril de 1995, quando foi requerida a autorização para a realização do plebiscito de emancipação.

Então, no dia 22 de outubro do mesmo ano, 1.365 pessoas votaram sim na consulta, o que representou 70% dos eleitores votantes na época. Arlindo Toillier, Juarez Dora, Paulo Meurer e Bruno Seibert, presidente da comissão emancipacionista, passaram a trabalhar junto ao setor de cartografia da Secretaria de Agricultura do Estado, no sentido de mapear a área do novo município.

No dia 28 de dezembro de 1995, por meio da Lei 10.657, foi instalado oficialmente o Município de Vale Verde, com uma área total de 333,33 quilômetros quadrados e população aproximada, na época, de 3 mil habitantes. A primeira eleição para prefeito ocorrida no novo município deu-se no dia 1º de outubro de 1996, quando foi eleito Hugo Froemming, tendo como vice-prefeito Juarez Castagnino Dora.

COBERTURA JORNALÍSTICA

Há muito tempo a Folha do Mate já cobria os principais acontecimentos da localidade, sendo que uma, dentre várias matérias, foi publicada no dia 29 de setembro de 1995, antecedendo o plebiscito, que iria ser decisivo para a permanência ou separação de General Câmara. Na reportagem, a Folha do Mate trouxe dados, números e informações que demonstraram as potencialidades dos dois distritos, dados que foram fundamentais para que a comissão tivesse argumentos para ter a emancipação concretizada e reconhecida pelo Estado do Rio Grande do Sul.

Matéria publicada no dia 29 de setembro de 1995 pela Folha do Mate, antecedia o plebiscito, que iria ser decisivo para a permanência ou separação de General Câmara (foto: arquivo Folha do Mate)

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome