Equipe da Viasom, que fica no bairro Cruzeiro. (Foto: Divulgação)
Equipe da Viasom, que fica no bairro Cruzeiro. (Foto: Divulgação)

O proprietário da Radiadores Silva, Jorge Rodrigues da Silva, acompanha há 20 anos, a evolução do bairro Brígida. Quando ele começou a investir, o local era vazio, com poucas residências, mas atualmente é muito movimentado.

Ele recorda que comprou o terreno para construir uma casa e depois decidiu colocar a oficina junto, pois tinha em outro bairro. “Era tudo mato ao redor, a estrada era de chão e tinha menos movimento de veículos.” Com o passar dos anos, a rua recebeu paralelepípedo e depois asfalto. “Foi uma boa evolução, precisávamos de asfalto”, acrescenta.

Um dos motivos de ter a empresa no bairro, é por ser na entrada da cidade, com grande fluxo de pessoas e fácil acesso. “Gosto daqui é um lugar tranquilo, não posso me queixar”, comenta. Porém, por causa desse grande fluxo, ele ressalta que o trânsito precisa ser mais planejado. “Tem dias que o trevo da Battisti em congestionamento de 2 quilômetros, tranca tudo. Isso precisa ser logo resolvido.”

“A maior qualidade é ser na entrada da cidade”, diz empreendedor do bairro Cruzeiro

Para o proprietário da Viasom Auto Center, Endrigo Rafael Wenzel, a maior qualidade do bairro é ser na entrada da cidade e proporcionar grande fluxo de pessoas. Por isso, há 14 anos, ele decidiu mudar a loja que ficava no centro para o bairro Cruzeiro.

Na época, o local não tinha muito comércio e casas, mas agora, tem bastante moradores , além de mercado, farmácia, lojas e outros. “Temos tudo perto, isso é muito bom para o bairro”, observa. Contudo ele conta que presencia muitos acidentes, pelo alto fluxo que tem no local. “Devia ter um quebra mola aqui na frente, porque os carros passam em alta velocidade. Isso é um caso urgente.”

“Vi o bairro que era mato crescer e ter várias casas. É gratificante ver esse crescimento, porque é um bairro muito bom parar morar e investir.”

JORGE RODRIGUES DA SILVA

Empreendedor

Jorge Rodrigues da Silva e Zulete Silva administram a Radiadores Silva, que fica no bairro Brígida há duas décadas. (Foto: Eduarda Wenzel/Folha do Mate)
Jorge Rodrigues da Silva e Zulete Silva administram a Radiadores Silva, que fica no bairro Brígida há duas décadas. (Foto: Eduarda Wenzel/Folha do Mate)

Tranquilidade é a característica do bairro

Um lugar bom para morar e investir, é assim que o proprietário da FT Calhas, Flávio José Theis, resume o bairro União. Ele está há 32 anos, no local e, neste tempo viu pouca evolução. “Não temos calçamento. Isso seria necessário isso”, destaca.

Porém, por não ser uma região movimentada, tem bastante espaço para estacionamento. “Estamos em um local que não tem muita movimentação, contudo perto de mercados, farmácias, lojas e todo centro”, comenta.

Para quem quiser empreender no bairro União, Theis incentiva, pois é um lugar que vale a pena. “Temos uma ótima vizinhança, com muito respeito. É ótimo para quem quer empreender e não necessita de fluxo de pessoas”, finaliza.

Flávio José Theis está há 32 anos morando e empreendendo no bairro União. (Foto: Eduarda Wenzel/Folha do Mate)
Flávio José Theis está há 32 anos morando e empreendendo no bairro União. (Foto: Eduarda Wenzel/Folha do Mate)

Um bairro próximo do centro, que proporciona grande circulação de pessoas

Há 14 anos no bairro, Marlon Eduardo Führ, que cresceu no bairro Grão-Pará, decidiu investir no local, com isso abriu a Di Metal. “Já era uma área comercial, onde eu conhecia, então achei o melhor lugar.” Além disso, ele acredita que é o bairro mais próximo do centro, com grande fluxo de pessoas. “A localização não interfere tanto no público, porque atendemos toda região, mas é bom para nós”, comenta. Também diz que como é um acesso a cidade, é um ponto bom para divulgar a empresa. “Para algumas localidades do interior, é a principal via para acessar o centro.

Apesar de ser um bairro que oferece tudo aos moradores, ele lamenta as enchentes, problema que perturba moradores e empresários do bairro há décadas. “Deveriam fazer uma dragagem do arroio Castelhano geral, porque aos poucos não adianta. E também fazer duas pontes secas na RSC-453, para facilitar a vasão da chuva”, ressalta.

Marlon Eduardo Führ, que cresceu no bairro Grão-Pará, decidiu investir no local, com isso abriu a Di Metal. (Foto: Divulgação)
Marlon Eduardo Führ, que cresceu no bairro Grão-Pará, decidiu investir no local, com isso abriu a Di Metal. (Foto: Divulgação)

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome