Projeto prevê estrutura de 85 metros quadrados em área de 22 hectares, em Linha Ponte Queimada (Foto: Simone Becker/ Secretaria de Planejamento e Urbanismo)

A área da antiga Fundação Ambiental de Venâncio Aires (Favan), localizada em Linha Ponte Queimada, distante cerca de dez quilômetros do centro da cidade, será o local de instalação do Centro de Bem-Estar Animal.

O anúncio foi feito na manhã desta sexta-feira, 31 de julho, em reunião no Gabinete do Executivo. A estruturação do Centro de Bem-Estar Animal, nos 22 hectares de área na Favan – local que já abriga equinos recolhidos e resgatados em situações de risco e vulnerabilidade – contará com uma estrutura física de aproximadamente 85 metros quadrados para cuidar de cães e gatos recolhidos por denúncia de maus-tratos, abandono e outras situações que precisem da intervenção do Município. A obra custará R$ 390.478,41, conforme orçamento prévio da Secretaria Municipal de Planejamento e Urbanismo. O recurso já está em conta – R$ 400 mil – e foi destinado por emenda parlamentar do deputado federal Heitor Schuch (PSB).

Para o prefeito Giovane Wickert, o conglomerado de ações positivas somadas à aprovação do projeto, por parte das entidades envolvidas, é uma grandiosa conquista pelo longo caminho que já se percorreu. “Eu ainda era assistente no Legislativo quando esse assunto já transitava pelo Plenário. Isso foi entre os anos de 2000 e 2001. Ter a aprovação deste, que é um projeto ansiado por muitos há longo tempo, dentro de um ano com tantas dificuldades, é motivo de muita felicidade. Essa é uma pauta que nos exige muito visto que a demanda existe sempre. Todos os dias têm relatos e denúncias, seja de abandono ou necessidade de recolhimento. Mais importante do que a aprovação do projeto desenvolvido pelos profissionais de arquitetura e engenharia da Secretaria de Planejamento e Urbanismo, é poder dizer que o recurso já existe”, avaliou.

A presidente da Organização Não-Governamental (ONG) Amigo Bicho, Naís Andrade, destaca a importância deste projeto que pode, em breve, sair do papel. Segundo ela, um dos grandes problemas enfrentados pela Amigo Bicho é ter um local adequado para levar um cão ferido, doente ou atropelado, uma cadela prenha ou que tenha filhotes.

Ela explica que o local será adequado para que os integrantes da ONG possam ter onde levar os animais para serem tratados, ressocializados e entregues para adoção. “Ideia é que seja um local de reabilitação e ressocialização, não um canil”, explica Naís. Pelo projeto, em torno de 60 a 80 animais poderão ser acolhidos. A presidente da organização confirma que será uma ajuda em função da demanda ainda ser muito grande. “O animal que precisa de um local urgente, depois de instalado, terá para onde ser direcionado.”

Encontro, na manhã da sexta-feira, 31 de julho, confirmou a criação do espaço em Linha Ponte Queimada (Foto: Leandro Osório/AI Prefeitura)

Defesa Civil

Na mesma reunião em que foi anunciada a liberação do valor para a instalação do Centro de Bem-Estar Animal, a Coordenadoria Municipal de Defesa Civil apresentou um plano de contingência voltado para o socorro aos animais nas enchentes. De acordo com o secretário de Segurança Pública e coordenador da Defesa Civil, Dário Martins, o espaço para abrigar os animais em casos de intempéries do tempo, será o mesmo do Centro de Bem-Estar Animal, na Favan, que deverá contar com o trabalho voluntário e participação do Conselho Municipal de Proteção ao Animal.

No plano, Martins coloca que na última enchente em Vila Mariante, as famílias foram resgatadas e junto com elas, quando possível, os animais domésticos da propriedade.
Também participaram da reunião a fiscal de Meio Ambiente, Carin Gomes, o coordenador da Vigilância Sanitária, Éverton Notti. Representando a Secretaria de Planejamento e Urbanismo, estiveram a arquiteta Simone Becker e o engenheiro civil, Lucas Duarte. Pelas entidades de defesa e cuidados animais participaram a presidente da ONG Amigo Bicho, Naís de Andrade, acompanhada de voluntárias e da representante da ONG Patinhas do Amor, Elisabeth da Rosa.

Cadastro de voluntários

  • A Secretaria de Meio Ambiente abrirá cadastro de voluntários que queiram integrar um grupo para auxiliar nas demandas mais diretas do assunto.
  • Os voluntários vão identificar da melhor forma as notificações e necessidades de castração, por exemplo.
  • Mais informações podem ser obtidas na Secretaria através do telefone (51) 3983-1034, com a Fiscal de Meio Ambiente, Carin Gomes.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome