Motociclistas são os mais ameaçados pelos buracos (foto: Claudio Froemming/Folha do Mate)

Buracos têm sido uma constante na ERS-405, nos últimos anos. A situação tem se agravado neste ano, pois quando os buracos surgem na rodovia, não recebem o devido conserto e acabam se transformando em verdadeiras crateras. No trecho entre Vale Verde e Passo do Sobrado, um dos buracos chega a medir três metros de comprimento, 70 centímetros de largura e 15 centímetros de profundidade.

O risco de acidentes é eminente, principalmente à noite e nos dias de chuva, quando ficam encobertos pela água. Outros buracos também oferecem riscos, mas são menores na sua extensão. Os usuários da rodovia dizem que geralmente depois das chuvas, principalmente nas mais prolongadas, novos buracos surgem, e assim, a primeira camada do asfalto se deteriora.

Como o Departamento Autônomo de Estradas e Rodagens (Daer) não fecha os buracos, eles continuam a se aprofundar, até encontrar a última camada asfáltica. Depois disso é só brita, a qual voa para fora da pista com a passagem dos veículos, principalmente caminhões.

Buraco que fica na reta entre Vale Verde e Passo do Sobrado mede 3 metros de comprimento, por 70 centímetros de largura, e 15 centímetros de profundidade (foto: Claudio Froemming/Folha do Mate)

Em agosto deste ano, autoridades e usuários da rodovia de Passo do Sobrado fizeram um protesto, para chamar a atenção. Com a mobilização o Daer fechou os buracos mais preocupantes, mas não fez uma operação tapa-buracos completa. Por isso, apenas dois meses depois, novas crateras apavoram os motoristas que trafegam pelo local.

O jovem empresário venâncio-airense Gabriel Bruch, 20 anos, foi um dos motoristas que teve prejuízo de R$ 500 ao cair pelo maior dos buracos da rodovia. Ele retornava da Lagoa de Dourados, no Rio Jacuí, no início da semana passada, quando simplesmente foi surpreendido com uma pancada na roda dianteira do lado direito do veículo.

Venâncio-airense, Gabriel Bruch caiu em um dos buracos e teve prejuízo de R$ 500,00 no seu veículo (foto: Gabriel Bruch/divulgação)

Ele conta que teve que parar e trocar o pneu. Além disso, precisou comprar um pneu novo e arrumar a roda que entortou, além da geometria que saiu do lugar. Recentemente os buracos mais perigosos foram marcados com tinta branca, e antecedidos com um sinal ‘x’, no intuito de chamar a atenção dos motoristas.

 

MOTOCICLISTAS

Conforme o servidor público de Vale Verde, Samir Pascos dos Reis, os motociclistas são os que mais correm riscos por conta dos buracos. “Quem cair dentro de um buraco destes, dificilmente não sofrerá uma queda, pois são profundos para uma motocicleta. Eu rezo pelos motoristas que trafegam por aqui”, disse Reis, que também é motociclista. Ele afirmou que vários grupos de motociclistas da região que passavam por Vale Verde em seus passeios de fim de semana estão evitando a rodovia, justamente pelo risco de acidentes.

 

DAER

A assessoria de imprensa do Daer informou que a autarquia irá realizar as melhorias necessárias na rodovia, assim que o material que foi comprado, da usina asfáltica, estiver disponível. Portanto, o serviço começa assim que forem entregues os sacos de concreto betuminoso usinado à quente (CBUQ).

“É lamentável e preocupante a quantidade de buracos abertos na nossa rodovia. Vários grupos de motociclistas estão evitando cruzar por Vale Verde nos passeios de fim de semana por conta dos riscos.”

SAMIR DOS PASCOS REIS
Motociclista de Vale Verde

 

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome