Reunião foi realizada na sexta-feira, 18, com os representantes dos municípios (Foto: Divulgação)

Reunidos na tarde de sexta-feira, 18, os prefeitos e representantes de municípios do Vale do Rio Pardo aprovaram o plano de cogestão para a bandeira amarela – o que permitirá à região ter restrições mais brandas do que a cor laranja, atual classificação no modelo de distanciamento controlado. A reunião ocorreu na sede do Consórcio Intermunicipal de Serviços do Vale do Rio Pardo (Cisvale) e envolveu ainda pautas relacionadas à Associação dos Municípios do Vale do Rio Pardo (Amvarp).

O pedido de atualização do plano de cogestão será encaminhado para a Secretaria Estadual de Articulação e Apoio aos Municípios (SAAM) nesta semana. O prazo para tramitação na pasta, após protocolado, é de até 48 horas. Os dados da pandemia foram apresentados durante a reunião pelo médico infectologista Marcelo Carneiro. Entre os indicadores, o profissional mostrou uma diminuição expressiva no número de pacientes com sintomas respiratórios que procuram atendimento na rede de saúde, o que sugere um controle da transmissão do vírus da Covid-19. O médico ainda destacou a importância da manutenção das regras e cuidados. Além de Carneiro, participaram da elaboração do plano a equipe técnica e assessoria jurídica do Cisvale.

O presidente da Amvarp e prefeito de Candelária, Paulo Roberto Butzge, destacou que se aprovado pelo governo do Estado, o plano deve flexibilizar alguns setores da economia regional. “Optamos por retomar as atividades presenciais por uma série de votações que tínhamos a fazer. A mais importante delas trata sobre os dados importantes apresentados e a aprovação por unanimidade do plano de cogestão para a bandeira amarela. É uma atualização dos protocolos que temos atualmente e a inclusão da bandeira amarela, que ainda não havíamos tratado”, frisa.

A volta às aulas foi outro tema discutido durante a assembleia. Neste caso, os prefeitos optaram por seguir calendários próprios de cada município, visto a dificuldade que há  principalmente no transporte público, que deve seguir as regras de lotação determinadas para cada bandeira.

Confira algumas mudanças da bandeira laranja para amarela

  • Segundo o médico Marcelo Carneiro, em 54,5% das áreas não há alterações: agropecuária, educação, saúde, transporte, serviços de comunicação, esporte.
  • Em restaurantes, a taxa de ocupação passa dos atuais 50% para 75%
  • Em hotéis, passa dos atuais 50% para 60% dos quartos.
  • Comércio de veículos e serviços de manutenção passam a permitir 75% dos trabalhadores.
  • Na indústria, passa dos atuais 75% para 100% dos trabalhadores.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome