Nelson e Ivone vivem no bairro Brands há 42 anos, desde que se casaram. (Foto: taiane Kussler/Folha do Mate)
Nelson e Ivone vivem no bairro Brands há 42 anos, desde que se casaram. (Foto: taiane Kussler/Folha do Mate)

Sentados no conforto da sala de estar, o casal Ivone e Nelson Gregory, de 63 e 65 anos respectivamente, recordam a época em que casaram e construíram uma história no bairro Brands, local onde vivem há 42 anos. As fotos dos três filhos e das netas, ainda trazem as lembranças de um período de muitas conquistas, que marcaram a história da família.

Vindos do interior, de Cerro dos Bois e Quarta Linha Nova, eles escolheram o bairro Brands, às margens da RSC 453, para morar. “Naquela época havia umas cinco casas em todo o bairro. Construímos um chalé de madeira que media 5m por 6m. A rodovia já havia sido construída, mas a entrada de acesso ao nosso bairro era tão estreita que só passavam carroças”, recorda Ivone.

Naquela época, o casal também não tinha carro para ir de um lugar a outro. “Fazíamos tudo a pé, até quando íamos levar as filhas ao hospital”, relembra a aposentada, mãe de Nelsione, 41 anos, Ieda, 37 anos e Juliana, 31 anos.

Casal possui várias fotos das filhas e netas distribuídas pela sala de estar. (Foto: Taiane Kussler/Folha do Mate)
Casal possui várias fotos das filhas e netas distribuídas pela sala de estar. (Foto: Taiane Kussler/Folha do Mate)

Gregory lembra que a família foi a pioneira a comprar o primeiro carro e construir um poço artesiano, já que, não havia água nem luz na vizinhança. “Em 1984, compramos um Fusca, em Lajeado. Ele não era zero, mas estava cheirando a novo. Já que na vila ninguém tinha carro, eu sempre dava carona para os vizinhos”, relembra o aposentado da Companhia Estadual de Energia Elétrica (Ceee).

O casal também foi o primeiro a construir um poço artesiano no bairro, para suprir a falta de água. Desde aquela época, eles sempre foram muito prestativos com os vizinhos. “Construímos um poço artesiano e retirávamos a água de balde. Nossos vizinhos sempre pediam um pouco de água e nunca nos negamos a ajudar aos outros. Eu sempre dizia, enquanto sair água do poço, eu vou distribuir”, relembra Gregory. Ele destaca que, depois que o bairro recebeu luz elétrica, um poço artesiano com motor foi construído para os moradores do Brands.

A chegada da luz, foi um marco na vida da comunidade. “Usávamos o liquinho para fazer as coisas. Além disso, não olhávamos televisão para não gastar bateria. Só depois que instalamos um transformador, é que ficou mais tranquilo”, afirma Ivone.

Há 42 anos vivendo no mesmo lugar, o casal tem muito orgulho do bairro. Um lugar, cercado de lembranças, que marca uma trajetória de mais de quatro décadas.

“Foi aqui que criamos e formamos as nossas três filhas. Para mim, não tem nenhum outro lugar melhor do que aqui. Mesmo que tivesse oportunidade de morar no centro, eu não mudaria.”

NELSON GREGORY

Morador do bairro Brands

Ivone, uma mulher ativa no bairro

Ivone Gregory sempre foi ativa na comunidade do bairro Brands. Logo que foi morar no local, possuía um ateliê de costura, onde ensinava muitas mulheres a costurar. Além disso, ela já atuou como presidente da Associação dos Moradores do bairro, por aproximadamente seis anos, integrou o grupo Pastoral da Criança e a Associação dos Moradores de Venâncio Aires. “Quando eu ainda estava na Pastoral da Criança, fiz uma mobilização junto com os demais moradores do Brands para solicitar uma creche para o bairro. Naquele época contávamos com 60 crianças”, recorda Ivone, que apesar de ter concluído o magistério, não trabalhou como professora e, atualmente é agente de saúde aposentada.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome