Valores relativos ao megaleilão do excedente da cessão onerosa do pré-sal serão disponibilizados aos estados e municípios (Foto: Divulgação)

O Governo Federal repassou à Confederação Nacional dos Municípios (CNM) a informação de que os valores relativos ao megaleilão do excedente da cessão onerosa do pré-sal serão disponibilizados aos estados e municípios no dia 30 de dezembro. De acordo com a previsão divulgada pela CNM, a Capital Nacional do Chimarrão deve ter os cofres irrigados com R$ 1.674.724,20. Inicialmente, era de cerca de R$ 3,5 milhões a estimativa de recursos para o município, contudo como o governo não conseguiu cumprir as expectativas de negócios, a diferença deve chegar somente em 2020, após um novo leilão.

O dinheiro deve ser creditado na conta do Município no dia 30 de dezembro e é específico para três áreas: novas obras, INSS devido ao governo e Regime Próprio de Previdência Social (RPPS). Para o secretário da Fazenda, Eleno Stertz, embora os valores não sejam os anunciados inicialmente, “é um importante aporte, que colabora com o fluxo de caixa”.

Stertz ressalta que o Município utilizará os recursos para cumprir dois aportes ao Fundo de Aposentadoria e Pensão dos Servidores Públicos (FAP). “Deixamos de fazer um aporte, de aproximadamente R$ 900 mil, pois sabíamos que o valor seria liberado. Agora, faremos pagamentos de dois meses, regularizando esta situação”, diz o titular da Fazenda.

EQUILÍBRIO

De acordo com Stertz, os recursos do pré-sal contribuem para a ‘ginástica’ que o Município faz para chegar ao equilíbrio financeiro no fim deste ano. “Teríamos que disponibilizar recursos livres para o FAP e, dessa forma, vamos ficar com estes valores para um fluxo de caixa, para compromissos com a folha e fornecedores”, esclarece. O secretário salienta que outros valores são esperados para o fim do ano, como a parcela extra do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), que deve ser de até R$ 1,5 milhão; a parcela antecipada referente ao Imposto sobre Propriedade de Veículo Automotor (IPVA); e recursos referentes ao Refis Estadual. “É um ajuste dia a dia. A expectativa é conseguir o zero a zero”, afirma.

Cessão onerosa é o nome que foi dado ao contrato de exploração de petróleo em uma área do pré-sal, na região marítima da Bacia de Santos, em 2010. O critério para a distribuição dos valores é o percentual do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) aplicado ao total disponível.

Municípios da microrregião ficam com R$ 418 mil cada

Os municípios da microrregião terão à disposição, cada um, R$ 418.681,05. Assim como Venâncio Aires, Mato Leitão, Passo do Sobrado e Vale Verde só poderão utilizar os recursos com previdência e investimentos. Secretário de Finanças de Passo do Sobrado, Ivan Sebben argumenta que “com a pindaíba atual dos municípios, todo dinheiro ajuda”, no entanto lamenta que os valores devem ser creditados apenas no dia 2 de janeiro de 2020.

“Entrando dia 30, provavelmente vai ficar como um superávit financeiro de 2019. Aí a gente vem cortando onde pode para chegar ao fim do ano fiscal com as contas em dia e fecha com superávit, sem poder usar o dinheiro e mascarando totalmente a contabilidade”, comenta.


“O Governo Federal não tem credibilidade, tanto que não conseguiu fazer o leilão completo. Os investidores internacionais não participaram, pois sabem os riscos de o Brasil ter um presidente maluco.”

IVAN SEBBEN – Secretário de Finanças de Passo do Sobrado


O secretário de Finanças de Mato Leitão, Cleberton Ferreira, diz que os recursos do pré-sal devem ser investidos como contrapartidas de obras de pavimentação já em execução no município. “Tem que confirmar, ainda, mas em princípio é isso”, ressalta, acrescentando que “dinheiro no fim de ano é sempre bem-vindo, mesmo que tenhamos que contar com apenas metade do que estava previsto inicialmente”.

Em Vale Verde, a intenção era construir uma escola com o dinheiro do pré-sal, mas como o recurso virá pela metade, o secretário de Finanças, Everton Miritz Jesk comenta que será preciso rever esta aplicação. “Vamos fazer investimentos, mas ainda não sabemos no que, exatamente, em virtude da queda”, reforça.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome