PIM Venâncio Aires completa 11 anos

-

Foi visitando as famílias cadastradas, que as equipes do Programa Primeira Infância Melhor/Criança Feliz comemorou nesta sexta-feira, 23, os 11 anos de atividades em Venâncio Aires. Vinculado às secretarias municipais da Saúde, da Educação, e Habitação e Desenvolvimento Social, o programa atende atualmente 113 crianças até seis anos, em 92 famílias de dez bairros do Município. “O PIM/Criança Feliz tem o objetivo de apoiar as famílias, a partir de sua cultura e experiências, na promoção do desenvolvimento integral das crianças, desde a gestação até os seis anos de idade”, destaca a coordenadora Andrea Oliveira.

As famílias dos pequenos Byanka, Antony, Ravi e Sofia, visitadas no dia do aniversário do PIM, fizeram alguns depoimentos sobre a importância dos trabalhos dos visitadores. Ao registrar a chegada das equipes nas casas, é possível constatar que mais do que realizar um trabalho, os visitadores conquistam o carinho das crianças assistidas e a confiança das famílias.

A Bibi, como o visitador Lucas Antônio da Silva, já chama a pequena Byanka de quatro anos, logo que o viu tratou de buscar os brinquedos e a bola. Lucas entregou algumas atividades para a menina, perguntou sobre a escola, verificou a situação das vacinas, arrancou abraços e precisou também jogar bola com ela antes de sair. “Desde pequena a Byanka é atendida pelo PIM e isso faz muita diferença no desenvolvimento dela. Desde as atividades que o Lucas hoje desenvolve com ela, até a atenção que ele dá, nos deixam mais seguras na criação da Bibi”, destaca a avó da Byanka, Beatriz Silva, que ao lado da filha Emília, são responsáveis pela menina.

Já no bairro Battisti, é na casa da Raquel Mariele da Rosa que a visitadora Cibele da Silva Bohn atende os pequenos Ravi, de um ano e cinco meses e o Antoni, de quatro anos. Foram eles que logo convidaram a equipe do PIM para entrar na casa, nesta sexta-feira, 23. Ao lado da mãe e das irmãs Lívia, de nove anos e Ágatha, de sete, que participaram até os seis anos do programa, que os meninos conversaram a Cibele, falando das novidades da semana e recebendo também atividades pedagógicas. “Os primeiros contatos que as crianças tem com texturas, cores, sons são acompanhadas pelos visitadores do PIM.

Meus filhos foram todos acompanhados por eles e isso sempre me deixou bem contente e mais segura”, disse Raquel. A visita na casa da família Rosa, teve também a participação da prima Sofia, de quatro anos, vizinha deles que também é assistida pelo programa.
A família Silva é moradora do Loteamento Popular Tirelli, e a família Rosa mora no bairro Battisti, são dois dos dez bairros visitados pelo PIM, também presente nos bairros Gressler, Cidade Nova, Xangrilá, Vila Táta, Macedo, Aviação, Coronel Brito e Brands.

Conforme a coordenadora, as principais atividades desenvolvidas são: visitas domiciliares semanais às famílias, visando o fortalecimento de vínculos e cuidados com suas crianças; realização de atividades lúdicas, que qualificam as relações familiares e comunitárias e contribuem para o desenvolvimento pleno das capacidades físicas, intelectuais, sociais e emocionais do ser humano; elaboração de planos singulares de atenção e cuidados às famílias; busca ativa de famílias com gestantes e crianças para atendimento; orientações que incentivem o aleitamento materno e a nutrição saudável às famílias com gestantes e crianças.

“Em razão da pandemia, incluiu-se junto da modalidade de visita domicilar, o atendimento remoto. Sendo assim, uma semana atendimento presencial, e outra semana o atendimento remoto. Essa modalidade veio para somar as ações desenvolvidas, e quando temos a presencial, esta é realizada com todo o cuidado e seguindo os protocolos de segurança”, destaca Andrea.

O PIM tem como visitadores os estudantes dos cursos de Psicologia, Serviço Soocial e Técnico de Enfermagem: Ana Luísa Henckes, Cibele da Silva Bohn, Henrique Azeredo, Jordana Schonardt, Lucas Antônio da Silva, Rafaela da Silva de Sá, e Eduardo Jander Santos. Além da coordenadora Andréa de Oliveira, também tem a supervisão da assistente social Cíntia Iramendi Rech Glesse.

Vinculado às secretarias municipais da Saúde, da Educação, e Habitação e Desenvolvimento Social, o programa atende atualmente 113 crianças até seis anos (Foto: AI Prefeitura/ Divulgação)

O Programa está com um projeto em desenvolvimento no Centro Materno Infantil, no posto de saúde Central, que é o “Sala de Espera”. No local, as gestantes recebem orientações especiais relacionadas a pandemia do coronavírus, apresentação musical, e entrega de kit de prevenção com: máscaras, folders, e álcool em gel.

As atividades, segundo a coordenadora, são desenvolvidas conforme a faixa etária de cada criança com o objetivo de desenvolver as quatro dimensões: comunicação e linguagem, motora, socioafetiva e cognitiva. Para marcar o aniversário, a equipe organizou uma exposição no saguão do prédio central da Prefeitura, com alguns trabalhos desenvolvidos pelas crianças.

Afubra promove segunda edição da campanha “MuDáAlimento”

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Destaques

Últimas

Exclusivo Assinantes