Primavera: o que esperar da nova estação?

-

A primavera começou oficialmente às 4h50min dessa segunda-feira, 23, e de acordo com divulgações do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), nos últimos meses, tem-se observado uma situação de neutralidade climática, ou seja, não há atuação dos fenômenos climáticos ‘El Niño’ e nem ‘La Niña’. “A tendência é de que a precipitação ocorra de forma irregular no estado ao longo da primavera. Além disso, como é comum na estação, devem ocorrer temporais, principalmente com ventos fortes e granizo”, informa a meteorologista do Núcleo de Informações Hidrometeorológicas (NIH) da Univates, Maria Angélica Cardoso.

Ela acrescenta que as temperaturas, ao que tudo indica, ficarão dentro a um pouco acima da média. E, como a primavera é uma estação de transição, em seu início ainda teremos dias com temperaturas amenas. “Porém, o calor aumenta à medida que nos aproximamos do verão. Com isso, entre novembro e dezembro, podemos ter dias de muito calor, com chance de ondas de calor.”

LEIA MAIS: Primeira semana da primavera será de sol em Venâncio

TRANSIÇÃO

A meteorologista explica que a primavera marca a passagem das características do inverno para o verão e, por isso, é considerada uma estação de transição. Ela pode ainda apresentar algumas características do inverno no seu início (alguns dias frios ou amenos, pois ainda há a passagem de algumas frentes frias sobre o estado e o ingresso de ar frio). Mas, no decorrer da estação as características passam a ser de verão (dias com temperaturas mais elevadas, devido a redução da passagem de frentes frias e ar frio, e ventos mais quentes passam a ingressar, bem como a angulação da Terra permite maior incidência do sol sobre o estado).

Por isso, uma das características que mais se sente na primavera, segundo Maria Angélica, é o aumento gradual das temperaturas. Em outras palavras, o início da primavera apresenta dias com maior amplitude térmica (diferença entre os valores de temperatura máximos e mínimos diários), mas que gradativamente tendem a diminuir à medida que o verão se aproxima. Assim, no decorrer da estação, dias com temperaturas elevadas, próximas ou acima dos 30°C se tornam frequentes.

Os episódios de precipitação ocorrem especialmente associados a frentes frias (sobretudo nos meses de setembro e outubro), influência de sistemas de baixa pressão, e também dos Sistemas Convectivos de Mesoescala (SCM). “A partir de novembro, se inicia o processo convectivo, que nada mais é do que as famosas chuvas de verão”, observa Maria Angélica.


“Preste atenção à previsão do tempo. A primavera é uma estação de transição, acumulando características do inverno e do verão.”

MARIA ANGÉLICA CARDOSO – Meteorologista do NIH da Univates


EVENTOS EXTREMOS

Outra característica que chama atenção durante a primavera é o aumento da ocorrência de eventos extremos de temporais com ventania, raios e granizo no estado, por vezes com acumulados significativos de chuva em curto espaço de tempo. “Isto ocorre devido às temperaturas mais elevadas associadas a circulação de umidade, que formam nuvens com amplo desenvolvimento vertical e com potencial para gerar temporais, também chamadas de nuvens convectivas”, explica a meteorologista.

CUIDADO COM A SAÚDE 

Mari Angélica chama atenção que as crises de alergias, principalmente respiratórias, tendem a se tornar mais frequentes, devido à polinização das flores e às oscilações de temperatura. Para isso, a meteorologista apresenta algumas dicas para amenizar o desconforto: lavar edredons e cobertores;.e evitar tapetes em casa; limpar o chão e os móveis com pano úmido ou vaporizadores; não colocar plantas naturais nos quartos; e, usar óculos escuros.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Destaques

Últimas

Exclusivo Assinantes