Piscinas da AABB estavam lotadas nessa quinta-feira (Foto: Alvaro Pegoraro/Folha do Mate)

O Rio Grande do Sul tem registrado uma baixa umidade no ar nos últimos dias. Com a previsão de muito calor para hoje e para o fim de semana, é preciso encontrar soluções para amenizar as altas temperaturas e os sintomas gerados pela baixa umidade do ar.
Nesta sexta-feira, a máxima pode chegar aos 40°C, segundo o Núcleo de Informações Hidrometeorológicas (NIH) da Universidade do Vale do Taquari (Univates). Já a baixa umidade do ar fica em 44%, isso quer dizer que existe ausência de água no ar. O percentual ideia seria de 50%, quando tem metade água e metade vapor.

Conforme o médio pneumologista, André Puglia, a baixa umidade do ar pode causar um ressecamento das vias áreas, principalmente do nariz e da traqueia. “Pessoas mais sensíveis podem acabar desencadeando bronquite, asma ou rinite, isso porque com a baixa umidade do ar ocorre uma maior perde de líquido”, destaca. A perda de líquidos em dias mais quentes e com índices baixos da umidade relativa do ar é ainda maior no momento da respiração e no suor da pele, o que causa uma maior sensação de sede e necessidade de água por parte do organismo. O especialista explica que algumas pessoas tendem a não sentir tanto esses efeitos, o que ocorre principalmente com pessoas idosas e, nesses casos, é necessário ter uma atenção redobrada porque se chegar a baixar a pressão pode acabar gerando problemas nos rins e até a desidratação.

A previsão mostra que os últimos dias de 2019 devem ser de muito calor, isso quer dizer que sombra, água e proteção solar devem ser itens indispensáveis nos próximos dias. O casal Hélio e Maria Marlene Liebstein prefere o chimarrão à sombra da Igreja Matriz para espantar o calor. “Não adianta a gente tomar água ou suco. A sede não passa. O único jeito é tomando chimarrão”, explica Maria, que mora com o marido no bairro Brígida.

Termômetros chegaram a marcar 42°C na tarde dessa quinta-feira (Foto: Alvaro Pegoraro/Folha do Mate)

ONDA DE CALOR

Não há quem não esteja sentindo falta de uma chuvinha. Há alguns dias, o estado está sofrendo com uma onda de calor, o que vem provocando sensações de abafamento e isso deve seguir pelos próximos dias. Conforme previsões divulgadas pelo NIH da Univates, não está descartada a possibilidade de pancadas de chuva ao longo do dia de hoje, no entanto, o sol forte o calor seguem. Assim como no domingo, 29, quando ocorre o ingresso de uma frente fria sobre o estado podendo provocar chuva em todas as regiões gaúchas. A incidência de chuva e temporais isolados aumenta a partir de 1°de janeiro de 2020.

Seguindo recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS), que estabelece que índices inferiores a 60% não são adequados para a saúde humana.

Problemas decorrentes da baixa umidade do ar:

  • Complicações alérgicas e respiratórias devido ao ressecamento de mucosas;
  • Sangramento pelo nariz;
  • Ressecamento da pele;
  • Irritação dos olhos;
  • Eletricidade estática nas pessoas e em equipamentos eletrônicos;
  • Aumento do potencial de incêndios em pastagens e florestas.

Seguindo uma escala psicrométrica – classificação dos estados de criticidade:

Entre 21 e 30% – Estado de Atenção

Cuidados a serem tomados:

  • Evitar exercícios físicos ao ar livre entre 11 e 15 horas;
  • Umidificar o ambiente através de vaporizadores, toalhas molhadas, recipientes com água, molhamento de jardins, etc.;
  • Sempre que possível permanecer em locais protegidos do sol, em áreas vegetadas, etc.;
  • Consumir água à vontade.

Entre 12 e 20% – Estado de Alerta

Cuidados a serem tomados:

  • Observar as recomendações do estado de atenção;
  • Suprimir exercícios físicos e trabalhos ao ar livre entre 10 e 16 horas;
  • Evitar aglomerações em ambientes fechados;
  • Usar soro fisiológico para olhos e narinas.

Abaixo de 12% – Estado de Emergência

Cuidados a serem tomados:

  • Observar as recomendações para os estados de atenção e de alerta;
  • Determinar a interrupção de qualquer atividade ao ar livre entre 10 e 16 horas como aulas de educação física, coleta de lixo, entrega de correspondência, etc.;
  • Determinar a suspensão de atividades que exijam aglomerações de pessoas em recintos fechados como aulas, cinemas, etc., entre 10 e 16 horas;
  • Durante as tardes, manter com umidade os ambientes internos, principalmente quarto de crianças, hospitais, etc.

A máxima registrada no Rio Grande do Sul, nesta quinta-feira, 26, foi 40,4°C. A temperatura foi registrada em Teutônia, segundo MetSul.

Atenção aos índices de radiação ultravioleta. Quando eles estão entre oito e dez oferecem altos riscos à pele. Ao passar desse nível, é preciso redobrar os cuidados. Use sempre o protetor solar antes de sair de casa.

Hélio e Maria Marlene Liebstein buscaram uma sombra no gramado da igreja São Sebastião Mártir para saborear o mate amargo (Foto: Alvaro Pegoraro/Folha do Mate)

LEIA MAIS: Saiba como fica o tempo nos próximos dias

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome