Em Venâncio Aires boa parte da categoria permanece mobilizada (Foto Cristiano Wildner/Folha do Mate)

Depois que decisão do Tribunal Superior do Trabalho (TST) propôs a suspensão da greve dos empregados nos Correios, a categoria divulgou que analisará a situação em assembleia regional, que será realizada na terça-feira, 17, a partir das 18h, em Porto Alegre. O julgamento do dissídio coletivo está marcado para o dia 2 de outubro. A categoria reivindica melhorias salariais, manutenção do acordo coletivo e diz ‘não’ à privatização da empresa.

Em audiência de conciliação entre as partes, no TST, realizada nesta quinta-feira, 12, também foi acatado parcialmente o pedido liminar formulado pelos Correios, que determinou de imediato que, durante a greve, 70% dos empregados e dos serviços da estatal estejam em atividade. O descumprimento da decisão acarreta multa diária de R$ 50 mil.

IMPACTOS

Em nota, os Correios dizem que aceitaram a proposta de encaminhamento do TST. “Para minimizar os impactos da paralisação, inclusive a perda de clientes para a concorrência, os Correios aceitaram a proposta de encaminhamento do TST. A condição da empresa é o encerramento da paralisação parcial, integralmente, em todo Brasil”, informa a nota.

TRABALHO

A empresa reitera, porém, que o retorno dos empregados ao trabalho é condição essencial para aceitar a proposta do TST e reforça que as representações sindicais se comprometeram, em contrapartida, em levar a proposta de encerramento da paralisação parcial para as assembleias o mais rápido possível. Os Correios ainda destacam na nota que “hoje, o prejuízo acumulado pela empresa é de aproximadamente R$ 3 bilhões”.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome