Jairo é responsável por servir o sopão nas marmitas (Foto: Ana Carolina Becker/Folha do Mate)
Jairo é responsável por servir o sopão nas marmitas (Foto: Ana Carolina Becker/Folha do Mate)

Todas as segundas-feiras um grupo de voluntários de Venâncio Aires possui a mesma missão: cozinhar um sopão cheio de amor e solidariedade. O trabalho para preparar as 120 marmitas começa cedo, logo no meio da tarde, por volta das 16h e só encerra próximo da meia-noite, quando todas as refeições foram distribuídas nos bairros pelos próprios voluntários.

Na segunda-feira, 27 de julho, quando a reportagem acompanhou a organização e entrega dos sopões, 16 pessoas estiveram envolvidas no preparo da sopa que leva, além de todos os ingredientes, muito amor e carinho. Em uma cozinha no último andar da Igreja Batista da Paz, na rua Reinaldo Schmaedecke, um ambiente de muita alegria e gratidão foi construído para garantir um alimento quentinho a moradores de bairros como Battisti, Coronel Brito, Macedo, Loteamento Tabalar e alguns moradores de rua, na área central.

Toda a ação só é possível a partir de doações que chegam à Associação Beneficente Batista (ABEB), conhecida como Frutos e Associados. “Conseguimos fazer as marmitas de acordo com as nossas doações”, destaca o presidente Jairo dos Santos Specht de Macedo. No momento, os alimentos para a produção de cinco panelões de sopa de carne e galinha chegam através de donativos da comunidade e de dois mercados do município. No entanto, a meta é aumentar a quantidade de marmitas e atender, se possível, um número maior de pessoas em outros bairros da Capital do Chimarrão.

Doses de amor

O responsável por preparar o sopão é o cozinheiro profissional e integrante da ABEB, Luís Fernando Justin da Silva, 54 anos. Habituado a desenvolver trabalhos sociais, ele conta que essa é apenas mais uma forma de contribuir com a comunidade, já que, anualmente, realiza a Cavalgada do Bem, em Venâncio.

Enquanto ‘pilota’ o fogão entre um chimarrão e outro, ele não deixa o bom humor de lado. Mesmo que não seja ‘fã’ de sopa, ele garante que deposita doses gigantescas de amor e dedicação: “A pessoa recebe um marmitex com sopa e cacetinho e um saco bem grande de amor”.

Luís Fernando é o cozinheiro que dá toque de amor na receita (Foto: Ana Carolina Becker/Folha do Mate)
Luís Fernando é o cozinheiro que dá toque de amor na receita (Foto: Ana Carolina Becker/Folha do Mate)

No caso de Silva, a família toda está envolvida na ação, que ocorre nas segundas-feiras. A esposa Glaucia, 38 anos, e as duas filhas, Ane e Adriane, 17 e 19 anos, respectivamente, também colocam a ‘mão na massa’. Glaucia conta que chega mais tarde para ajudar, pois como é professora, só consegue chegar depois das 17h. “Eu senti no coração que deveria ajudar essas pessoas que precisam”, destaca.

No entanto, não é apenas nas segundas-feiras que a família contribui. A mãe observa que sempre que pode auxilia os mais carentes de alguma forma. “Se precisar tirar uma peça de roupa de dentro do meu guarda-roupas para doar eu vou fazer isso.”

As expressões de compaixão e carinho por aqueles que irão receber as marmitas são demonstradas em todos os momentos, inclusive nas tampas das marmitas. O responsável por deixar um recadinho especial em cada uma das 120 marmitas é o jovem Darvin de Lima Machado, 20 anos. Além dele, o irmão Márcio, 23 anos, também auxilia na ação de preparo e entrega dos alimentos. “As pessoas acham que é só na África que as pessoas estão passando fome, mas aqui também acontece isso”, salienta. Ele conta que ajudar o próximo vem do coração. “Para nós, pode não ser uma grande coisa, mas para quem recebe tem um grande significado”, complementa.

Ane e Márcio foram, na segunda-feira, os responsáveis por separar os pães (Foto: Ana Carolina Becker/Folha do Mate)
Ane e Márcio foram, na segunda-feira, os responsáveis por separar os pães (Foto: Ana Carolina Becker/Folha do Mate)
Darvin tratou de deixar recados nas tampas das marmitas, para garantir uma refeição ainda mais abençoada (Foto: Ana Carolina Becker/Folha do Mate)
Darvin tratou de deixar recados nas tampas das marmitas, para garantir uma refeição ainda mais abençoada (Foto: Ana Carolina Becker/Folha do Mate)

Entrega do sopão: em troca, a gratidão

A reportagem acompanhou o primeiro roteiro de entrega na noite de segunda-feira, 27, que ocorreu na área central e também no bairro Battisti. Na distribuição das primeiras 60 marmitas estavam os voluntários Luís Fernando e Márcio. Muito mais que simplesmente entregar as marmitas, eles descem do veículo e conversam com as famílias beneficiadas, questionando como estão os familiares e como estão passando os dias.

Uma das primeiras famílias a receber o sopão foi da cuidadora Avelina do Nascimento, 57 anos. O relógio marcava 20h quando a entrega chegou acompanhada de um chamado dos voluntários pelo nome do filho, Claudionir, 38 anos. Sem esconder a alegria no rosto, o morador do bairro Battisti saiu de dentro de casa com um sorriso e recebeu os voluntários cheio de agradecimentos pelo alimento daquela noite.

Avelina e o filho Claudionir foram beneficiados com o sopão (Foto: Ana Carolina Becker/Folha do Mate)
Avelina e o filho Claudionir foram beneficiados com o sopão (Foto: Ana Carolina Becker/Folha do Mate)

“Essa sopa é vitaminada e com ela nos sentimos especiais. Sabemos que existem pessoas lembrando de nós.”

AVELINA DO NASCIMENTO – Cuidadora

As quatro marmitas deixadas para a família Nascimento eram para Avelina e os dois filhos Claudionir e Rafael e também o neto Matheus. “Quero muito parabenizar por essa ação e por eles cuidarem da gente”, diz Avelina. Estudante da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Dois Irmãos na modalidade Educação de Jovens e Adultos (EJA), ela conta que em muitos momentos, desde o início da pandemia, não tinha alimento suficiente e contou com o auxílio de pessoas conhecidas para alimentar a família. “Esse ato é muito abençoado”, ressalta.

Sistemática para entrega do sopão

  1. O sopão é feito todas as segundas-feiras por voluntários, no terceiro andar da igreja Batista da Paz, na rua Reinaldo Schmaedecke.
  2. Os alimentos utilizados na sopa são doados. Qualquer tipo de alimento é aceito pelo grupo para o preparo do sopão.
  3. As entregas são feitas a partir de roteiros estabelecidos pelos voluntários. Não há incentivo para a gasolina, cada um precisa desembolsar esse valor.
  4. As famílias beneficiadas pelas marmitas são carentes e essas indicações chegam através dos voluntários e pessoas da comunidade.
  5. Pessoas interessadas em serem voluntárias podem procurar o espaço de segunda a sexta-feira, no turno da tarde, ou entrar em contato pelo telefone (51) 99583-7251, com Jairo.
Cerca de 16 voluntários estão auxiliando no preparo da sopa (Foto: Ana Carolina Becker/Folha do Mate)
Cerca de 16 voluntários estão auxiliando no preparo da sopa (Foto: Ana Carolina Becker/Folha do Mate)

Auxílio para a estrutura

No momento, o sopão é preparado em um fogão semi-industrial. Como precisam preparar o alimento em cinco panelas e o fogão possui apenas quatro bocas, o grupo necessita de um fogão industrial, mas não dispõe de condições financeiras para realizar a compra no momento.

Os principais ingredientes da sopa

Carne de rês ou frango e complementos como massa, arroz, batata, milho, tempero verde, cenoura, couve-flor, couve, brócolis, repolho, beterraba e outros ingredientes.

LEIA MAIS: Hospital Veterinário da Unisc será inaugurado em agosto

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome