Universitários realizam projetos de infraestrutura rodoviária para Venâncio

-

A Universidade do Vale do Taquari (Univates) em parceria com o Departamento de Estradas e Rodagens (Daer), vinculado à Secretaria de Logística e Transportes do Estado, está capacitando estudantes de Engenharia Civil para proporcionar a elaboração de projetos na região. A iniciativa prevê que os alunos elaborem soluções para melhorar a infraestrutura rodoviária a partir de orientações de técnicos da autarquia, bem como utilizem esta pesquisa na produção do Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) da universidade. Os estudantes Rafael Zotti e Petra Schmidt estão envolvidos em projetos para Venâncio Aires.

Zotti, que está no 9º semestre, está executando um projeto para substituir uma ponte no km 29 da ERS-130, no distrito de Vila Mariante. “Sempre tive interesse em projetos de maior porte, as pontes sempre me impressionaram e despertavam meu interesse. Quando soube da parceria da Univates com o Daer e da necessidade do órgão em passar demandas para estudos prévios à universidade, decidi encarar este desafio, já que a atual situação não atende às exigências normativas atuais, tanto de suporte de cargas quanto de capacidade de tráfego”, destaca o estudante.

Orientado pela professora Rebeca Schmitz e pelo engenheiro Fabiano Pereira, o universitário realizou visitas no local, na semana passada, para fazer estudos prévios para a solução do projeto. A ponte fica localizada na ERS-130, no trecho que percorre as cidade de Encantado até General Câmara e faz a transição do Arroio Taquari Mirim, nas proximidades do Passo da Reserva, em Venâncio Aires.

O estudante fez esta escolha depois de ter percebido a importância da ponte para o escoamento da produção e desconforto de quem transita na estrada. “A seção transversal da ponte comporta apenas um veículo por vez, com limite de carga muito inferior ao necessário. Isso gera um trânsito mais lento, já que é preciso esperar para realizar a transição, caso haja outro veículo na via. Além disso, o trecho não é pavimentado”, observa o acadêmico da Univates, que reside em Encantado, a cerca de 1h30min do local.

Segundo ele, a ponte atual foi dimensionada para suportar cargas de 24 toneladas. Contudo, neste projeto que está sendo executado, a ponte será dimensionada para suportar as cargas móveis de 45 toneladas e para comportar duas vias, contendo também passagem para pedestres, demandas que atualmente não são cumpridas pela estrutura do local. Ele acrescenta que a parceria do Daer com a Univates tem sido positiva neste processo de formação acadêmica. “Essa vivência tem sido muito gratificante. Já aprendi muito e certamente será um diferencial quando eu me formar”, considera.

Palanque

A universitária Petra Schmidt também realiza um estudo para o melhoramento da infraestrutura rodoviária de Venâncio Aires. Moradora de Estrela, ela trabalha na criação do trevo que dá acesso à Vila Palanque, entre a VRS-816 e o km 10 da RSC-453, no interior de Venâncio. “O objetivo é aliviar o trânsito intenso na localidade e aumentar a segurança dos moradores”, complementa a estudante do 10º semestre de Engenharia Civil.

Prestes a concluir o curso, ela estava determinada a trabalhar com interseções e, antes mesmo da parceria da Univates com o Daer, já tinha vontade de fazer algo voltado às rodovias. A escolha do local surgiu a partir das opções que foram disponibilizadas pelo Daer. “Já tinha informações e dados sobre o trevo e a contagem dos veículos que circulavam na rodovia, pois já tinha entregue o TTC 1, no ano passado sobre o local. Isso facilitou a minha pesquisa”, afirma a estudante, que conta com o apoio da professora orientadora Carolina Becker Porto Fransozi. “Mesmo assim, tive que fazer uma pesquisa bem aprofundada sobre intersecções, para adaptar o projeto às normas”, explica Petra, que está bem animada com a parceria do órgão com a instituição de ensino.

Projeto do trevo de acesso à Vila Palanque, elaborado pela estudante Petra Schmidt facilitará o tráfego entre a VRS-816 e o km 10 da RSC-453 . (Foto: Divulgação

Execução é de responsabilidade do Daer

  1. Os trabalhos dos estudantes da Univates servirão de projeto base para o Daer ou para análise e estudos futuros de outros estudantes. A execução do projeto é de responsabilidade do órgão e não há um prazo para ser concluído na prática.
  2. Durante a vigência do termo de cooperação técnica entre o Daer e a Univates, o esforço dos participantes pode ser aproveitado no Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). A parceria entre as instituições é válida por cinco anos, podendo ser renovada por igual período.
  3. “Prepará-los por meio de situações reais é fundamental para o futuro da nossa sociedade. As propostas encontradas são muito bem-vindas para os vários casos que precisamos resolver. São novas concepções, embasadas pelas normas técnicas e especificações de serviços a que somos submetidos. Uma relação perfeita entre as instituições de ensino e as questões reais das comunidades”, afirma Sívori Sarti da Silva, diretor de Gestão e Projetos da autarquia.
  4. Conforme a coordenadora do curso de Engenharia Civil da Univates, Rebeca Schmitz, a empolgação é geral. “Todos amam fazer projetos que podem, de fato, sair do papel. Inclusive nós, professores, estamos muito satisfeitos”, sintetiza.
  5. O engenheiro Fabiano Pereira, que liderou a parceria, afirma que é crescente o interesse dos alunos em obras rodoviárias. “Frequentemente tomamos conhecimento de estudos nessa área. Provavelmente, ainda virão muitos projetos nos próximos semestres”, comemora.

LEIA MAIS:

notícias últimas Folha do Mate

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Destaques

Últimas

Exclusivo Assinantes