Vereador Rodrigo VT sugere dique no bairro Battisti, em Venâncio

-

Nascido e crescido no bairro União – ou Vila Mayer -, como ele mesmo costuma dizer, o vereador Rodrigo Garin, o Rodrigo VT (PSD), mantém sempre viva a necessidade de busca de alternativas para que a parte baixa da cidade deixe de sofrer nos períodos de cheia do arroio Castelhano. Até pouco tempo, ele liderava a Patrulha Agrícola, setor integrante da Secretaria de Desenvolvimento Rural, e em pouco mais de um ano e meio na função, teve oportunidade de mapear áreas alagáveis em algumas regiões.

Recentemente, assumiu vaga no Poder Legislativo, mas não deixou de lado o trabalho em busca de melhorias para as famílias que são atingidas pelas enchentes. Com a proximidade do inverno, VT traz o assunto à pauta mais uma vez. Ele sugere que a Prefeitura de Venâncio Aires providencie um dique no bairro Battisti, para minimizar os problemas enfrentados pelos moradores mais próximos ao Castelhano. Inicialmente, defende o parlamentar, a estrutura poderia receber restos de obras e alguns outros materiais.

Depois, a partir da obtenção de licença junto à Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam), o dique receberia o aterro. VT concedeu entrevista ao programa jornalístico Terra em Uma Hora, da Rádio Terra FM, na quinta-feira, 2, e admitiu que o projeto não é para curto prazo. No entanto, disse que a mobilização deve começar imediatamente, para que o trabalho possa ser executado no período do verão, quando há tempo firme. “Estive no Executivo e sei que precisamos enfrentar a burocracia. Mas temos que iniciar o processo agora, para que quando tenhamos em mãos a licença da Fepam, a obra saia do papel”, declarou.

De acordo com o vereador, pelo menos 30 residências, localizadas em 10 quadras do bairro Battisti, são atingidas pelas águas do arroio Castelhano nas chamadas “cheias normais”. “Mesmo que fosse só uma, e nós pudéssemos evitar, já seria importante”, destacou o parlamentar, acrescentando que o tempo em que esteve no Executivo serviu para que identificasse quase todas as áreas que precisam de atenção no que se refere às enchentes. “O prefeito, doutor Jarbas da Rosa, dá liberdade aos seus coordenadores para que verifiquem os problemas nas comunidades e tentem resolvê-los. Neste caso, é algo que demanda mais trabalho, mas que está no nosso radar e que vamos em busca de soluções”, argumentou.

O que é um dique

• Dique é uma obra de engenharia hidráulica com a finalidade de manter determinadas porções de terra secas, por meio do represamento de águas correntes. Sua estrutura pode ser de concreto, de terra ou de enrocamento e possibilita manter secas determinadas áreas.

“Estamos pensando, basicamente, em um aterramento nos fundos das casas do bairro Battisti que são atingidas pelas cheias. Temos uma série de locais, na parte baixa da cidade, que são pontos de descarte irregular de materiais. Poderíamos direcionar este descarte, colaborar com o meio ambiente e, ainda, minimizar ou resolver o problema enfrentado por muitas famílias.”

RODRIGO GARIN, O RODRIGO VT – Vereador do PSD, autor da sugestão

“Cemitério de árvores”

Além do dique no bairro Battisti, Rodrigo VT salientou que o Executivo deve, em breve, promover a drenagem das áreas próximas à RSC-453, no ponto conhecido como “cemitério de árvores”. Em razão do assoreamento do arroio Castelhano, a água saiu da caixa e não retornou, há algum tempo, ficando acumulada e acabando por destruir a vegetação no local. “A Fepam já liberou a intervenção ali. No entanto, é preciso esperar pelo verão, para que as máquinas possam acessar o local. É muito alagadiço”, esclareceu.

Ainda acerca de áreas alagáveis, o vereador do PSD manifesta preocupação com o Grão-Pará. “Há esgoto pluvial e cloacal correndo pra lá, a exemplo do que acontece no bairro Brígida, ali perto do Loteamento Benoni. Se não adotarmos medidas para minimizar os danos, podemos ter novas áreas chamadas de cemitérios de árvores. Com o assoreamento de sangas e de valetas, a água sobe, fica parada e mata a vegetação”, reforçou.

Rodrigo VT já se reuniu com os secretários Gustavo Von Helden, do Planejamento e Urbanismo, e Nilson Lehmen, do Meio Ambiente, para tratar a respeito da sugestão do dique. Segundo ele, a recepção à ideia foi positiva. A estrutura teria aproximadamente 300 metros de extensão e 1,5 metro de altura, o que evitaria que boa parte das casas atualmente invadidas pelas cheias, no bairro Battisti, escapassem em um próximo episódio.

Drenagem urbana

• O vereador Rodrigo VT também afirmou que a Prefeitura tem dado andamento a um plano de drenagem urbana. De acordo com ele, os servidores que identificam problemas no dia a dia levam as demandas às secretarias, que tentam pôr fim aos transtornos.

• Conforme ele, “os maiores problemas são aqueles pequenos, que nos incomodam diariamente”. Para VT, “se fizermos o arroz com feijão, a curto prazo atendemos as demandas da comunidade”. Ainda segundo o parlamentar, “de vez em quando dá pra fazer um guisadinho, pra dar um up”.

• Ele sustenta que a Administração deve adotar a sensatez e os pés no chão para avançar em relação ao meio ambiente, mas admite que Venâncio Aires está atrasada neste sentido: “A gente sabe que entrava um governo e saía outro e nunca se preocupavam com as questões ambientais”.

• VT finalizou lembrando que no Loteamento Müller, nas proximidades da Sercsate, há uma sanga que sempre foi problema naquela região e que também precisa de atenção do poder público.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Destaques

Últimas

Exclusivo Assinantes