Recepcionada pela apresentação do grupo de capoeira Senzala, a comitiva da Interiorização do Governo do Estado e da Caravana da Inclusão que esteve em Alvorada, nesta quarta-feira, 11, presenciou, no Ginásio Municipal Tancredo Neves, mais uma etapa da emancipação das famílias beneficiadas pelo RS Mais Igual. Na atividade, também foi lançada a segunda fase da CNH Social e entregue a Carteira de Habilitação para participantes da primeira parte do programa.

“Esses projetos sociais visam melhorar as condições de vida das pessoas e colocá-las em posição de igualdade. E quando investimos em programas como o de complementação de renda do Bolsa Família, de qualificação pelo Pronatec e da CNH Social, estamos na realidade investindo no ser humano, que é a coisa mais preciosa que um governo pode fazer”, afirmou Tarso Genro, que também explicou que as pessoas capacitadas pelo Pronatec podem posteriormente acessar o Microcrédito Gaúcho, que dá condições para que possam abrir o próprio negócio.

Segunda edição da CNH Social

Juntamente com o diretor-geral do Detran/RS, Leonardo Kauer, Tarso entregou o documento de habilitação para um grupo de beneficiados da primeira etapa do projeto CNH Social, lançado em novembro do ano passado e que oferece Carteira de Habilitação gratuita para a população de baixa renda.

Também foi anunciada a fase do programa que vai oferecer mais 7 mil habilitações gratuitas, mediante sorteio entre os inscritos nos 274 Centros de Formação de Condutores (CFCs) credenciados pelo Detran/RS. As inscrições podem ser feitas do dia 16 de junho a 4 de julhoem qualquer CFC.

“Iniciamos o projeto em 2011, que hoje é lei e uma política de Estado de inclusão social que envolve homens e mulheres de diversas etnias e raças no mercado de trabalho”, disse o secretário da Administração e dos Recursos Humanos, Alessandro Barcelos.

Para participar do sorteio da CNH Social, é preciso ter renda familiar de até três salários mínimos e estar inscrito no Cadastro único do Governo Federal. O programa possibilita à população de baixa renda melhores oportunidades de trabalho e reserva de 15% das vagas para negros e pardos e 50% das vagas de mudança de categoria a mulheres, visando promover a igualdade de acesso aos postos de trabalho.

A Lei 14.029/ 2012, que instituiu a CNH Social, foi aprovada por unanimidade na Assembleia Legislativa em junho de 2012. Aprimeira edição do programa, em 2013, teve mais de 171 mil inscritos.