Heitor Schuch confirma R$ 1 milhão para construir Emei em Santa Emília

-

Vila Santa Emília será a primeira localidade do interior de Venâncio Aires a contar com uma escola municipal de educação infantil (Emei). Na segunda-feira, 21, o deputado federal Heitor Schuch (PSB) estará em Venâncio Aires, às 14h, para confirmar uma emenda de R$ 1 milhão para a construção da Emei. Demanda da comunidade do quarto distrito, a Emei será construída ao lado da Escola Estadual de Ensino Fundamental São Luiz, em área que foi desapropriada pela Prefeitura.

O ato será acompanhado por moradores da comunidade, lideranças do município, entre elas, o prefeito Giovane Wickert e a vereadora Sandra Wagner, ambos do PSB, que encaminharam a demanda ao parlamentar. Segundo Schuch, a localidade de Santa Emília se desenvolveu muito nos últimos anos, sobretudo com a expansão do Frigorífico Kroth, maior empresa da localidade e a 7ª maior de Venâncio Aires, conforme ranking por Valor Adicionado Fiscal divulgado na revista Perfil Socioeconômico 2020. Com esse crescimento, o investimento em uma escola infantil se tornou uma necessidade para as famílias da localidade, principalmente para os funcionários do frigorífico que têm filhos em idade para frequentar a educação infantil. “Essa obra representa mais do que a vontade da comunidade, mas uma necessidade”, resumiu o parlamentar.
Conforme Schuch, os recursos desta emenda serão do Orçamento Geral da União de 2021. A Lei Orçamentária Anual (LOA) da União deve ser votada em fevereiro do próximo ano.

“Santa Emília representa um núcleo econômico muito forte. Eu diria, mais forte do que muitos pequenos municípios.”
HEITOR SCHUCH – Deputado federal

Conquista para Santa Emília

Prefeito de Venâncio Aires, Giovane Wickert também destaca o crescimento da localidade e do Frigorífico Kroth, que tem em torno de 500 funcionários. “Hoje, muitas crianças, que têm pais trabalhando no frigorífico ou em outras empresas, precisam frequentar uma creche longe da localidade. Uma escola infantil em Santa Emília, além de atender esta demanda, vai desafogar as vagas de Emeis na cidade.”

“É uma demanda antiga. Santa Emília terá a primeira creche do interior. Essa obra vai atender uma demanda da localidade e da cidade.”
GIOVANE WICKERT – Prefeito de Venâncio Aires

Wickert relembra a mobilização da comunidade, inclusive dos proprietários do frigorífico, e cita o empenho do Município para realizar a desapropriação da área da escola São Luiz. “O Município investiu meio milhão para regularizar essa demanda histórica”, destaca. O processo segue tramitando no Judiciário e está em fase de escrituração, segundo o prefeito. Assim que a documentação estiver em mãos, o Município poderá desmembrar um pedaço do terreno, ao lado da escola São Luiz, para a construção da Emei. Já a área onde está localizada a escola será repassada ao Estado. Segundo o chefe do Executivo, outro distrito que tem prioridade para receber uma escola infantil é Vila Mariante, que também conta com um frigorífico em plena expansão, o Boi Gaúcho.

emei_santa_emília
Parte da área onde fica a escola São Luiz será desmembrada para a construção da Emei de Vila Santa Emília (Foto: Alvaro Pegoraro)

Saiba mais sobre a desapropriação da área

  • Desde o dia 16 de janeiro, a escola São Luiz, localizada em Vila Santa Emília, é propriedade do Município. A oficialização da posse foi determinada pelo juiz João Francisco Goulart Borges e o processo de desapropriação está em fase de escrituração, segundo o prefeito Giovane Wickert.
  • A situação se arrastava desde os anos 80, quando a Campanha Nacional de Escolas da Comunidade (CNEC) deixou de utilizar a estrutura e a alugou para o Governo do Estado.
  • Com esse entrave, a diretoria do educandário não consegue implementar melhorias e ampliação, pois não tinha a propriedade do prédio. Quando todos os trâmites forem concluídos, o Município irá repassar o patrimônio para o Estado. Por enquanto, o Estado é uma espécie de “inquilino” da Prefeitura de Venâncio Aires.

“Tive que largar meu emprego para cuidar do Miguel”

Por Rosana Wessling
A moradora de Vila Santa Emília, Marilene Kist, 35 anos, teve que buscar alternativas desde que o pequeno Miguel Henrique Kist Hinterholz nasceu. Para cuidar do filho, que hoje está com 1 ano e 8 meses, Marilene não retornou ao trabalho após a licença-maternidade, pois não tem com quem deixar o filho.

O marido é caminhoneiro, e com isso, retorna para o lar apenas no fim da semana. “Tive que parar de trabalhar e cuidar do Miguel. No interior não temos onde deixar nossos filhos.” Todavia, essa situação pode ser modificada com a construção de uma escola de educação infantil na localidade. “Lembro que quando eu estava grávida minha mãe já falava que não ia demorar muito, que iriam construir uma creche na nossa comunidade. Assim como eu, outras mães tiveram que deixar seus empregos e cuidar dos filhos.”

“Na nossa comunidade falta uma creche, pois muitas famílias trabalham fora e não têm onde deixar os filhos. Isso seria ótimo, estou só esperando essa notícia se concretizar para matricular o Miguel e conseguir voltar a trabalhar.”
MARILENE KIST – Moradora de Vila Santa Emília

notícias educação Folha do Mate

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Destaques

Últimas

Exclusivo Assinantes