Na teoria, diz o ditado que contra fatos não há argumentos. Na prática, o resultado nem sempre é o esperado e mesmo diante de provas contundentes, há sempre uma tentativa de negar aquilo que está exposto. Isso foi provado ontem, quando um suspeito de furtos foi colocado diante de imagens que supostamente o mostram em ação, mas ele disse ter provas que não estava naquele local, naquele dia e horário.

Foto: Alvaro Pegoraro / DivulgaçãoCâmeras flagraram a ação do jovem
Câmeras flagraram a ação do jovem

Os agentes da Polícia Civil chegaram até o nome do suspeito, ao investigarem uma série de furtos com as mesmas características. Em um dos locais, conseguiram imagens que mostram o indivíduo em ação e a roupa que ele usava chamou atenção. Ontem, ao ser detido, usava a mesma roupa e foi encaminhado à Delegacia de Polícia (DP) para prestar esclarecimentos. Ao delegado Vinícius Lourenço de Assunção, negou que a pessoa que aparece nas filmagens, seja ele.

Há uma série de furtos atribuídos a este rapaz e o delegado Vinícius destaca dois deles, considerados os mais graves. Um, praticado contra um estabelecimento comercial, na madrugada do dia 21 de dezembro, no bairro Xangrilá, de onde foram furtadas 200 pizzas, quatro peças de queijo, três pacotes de chocolate, pacotes de balas, um multiprocessador, cartões bancários, documentos e uma TV de tela plana. Neste local o ladrão entrou por uma porta de vidro e foi auxiliado por um segundo indivíduo.

O outro é o arrombamento de uma ótica, no centro da cidade. As imagens mostram o suspeito quebrando um vidro lateral do estabelecimento – com um tesourão usado para cortar barras de ferro -, por onde ele entra e furta 45 relógios de pulso. O comparsa fica do lado de fora, mas não foi possível identificá-lo.

NÃO FUI EUOntem à tarde, agentes do Setor de Investigações (SI) receberam informações sobre a localização de três pássaros, furtados naquela madrugada. Foram feitas buscas e o investigado pela autoria dos furtos estava nas imediações da casa onde as aves foram apreendidas.

Levado à DP e cientificado das acusações que recaem sobre ele, negou o envolvimento em furtos e disse viver de biscates e do recolhimento de material reciclável. O delegado Vinícius mostrou as imagens do ataque a ótica e mesmo ele estando com a mesma roupa e o mesmo boné, disse que não era ele. Também foi interrogado pela autoria de outros furtos, mas seguiu negando e disse que só se manifestará em juízo.

Para o delegado Vinícius – assim como para os agentes -, não há dúvidas do envolvimento do rapaz na autoria de alguns furtos recentes. “Ele deve ser retirado do convívio social o mais rapidamente possível, eis que há vários indícios de seu envolvimento em crimes contra o patrimônio praticados em Venâncio Aires. Uma vez comprovada a autoria, e demonstrada que a liberdade do suspeito põe em risco à ordem pública, a prisão preventiva é de ser decretada”, mencionou.

Por isso, o titular da Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) – e que responde interinamente pela DP – vai representar pela prisão preventiva do indivíduo. E para materializar ainda mais as provas (principalmente as filmagens), a camiseta e o boné foram apreendidos.