Tecnologia vai auxiliar a Polícia Civil do Estado a identificar suspeitos. Todas as Delegacias de Polícia receberam ou receberão um identificador biométrico.

Foto: Alvaro Pegoraro / Folha do MateEscrivão Felipe Ceretta opera o identificador biométrico
Escrivão Felipe Ceretta opera o identificador biométrico

O aparelho colhe impressões digitais e as armazena em um banco de dados, que pode ser acessado em qualquer parte do Estado. Ele também pode ser usado para comparar impressões digitais, recolhidas em locais de crime, por exemplo, e compará-la com a de suspeitos.

O aparelho já está sendo usado na Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento de Venâncio Aires.