Diretoria da Cooprova destacou as principais conquistas de 2019. (Foto - Edemar Etges/Folha do Mate).

“Como produtor, quero dizer que 2019 foi um ano difícil. Porém, precisamos lutar e defender a cooperativa. 2019 foi um ano de batalhas e 2020 será um ano de vitórias”. A afirmação é do agricultor familiar e tesoureiro da Cooperativa de Produtores de Venâncio Aires (Cooprova), Wilson Kaufmann, ao fazer referência à importância do trabalho da cooperativa desenvolvido em prol dos associados, durante a confraternização de fim de ano realizada na noite do dia 30 de dezembro, na sede da entidade, localizada no Acesso Imperatriz Dona Leopoldina.

A vice-presidente, Mônica Cristina Moraes, lembrou das dificuldades em gerenciar a Cooprova no primeiro ano de mandato da atual diretoria. “Foi um ano difícil, de muitas batalhas, mas fechamos com praticamente 100% das nossas metas cumpridas”, destacou.

“Se estamos aqui é porque conseguimos, de fato, cumprir o que é a essência de uma cooperativa: os cooperados buscando, lutando e trabalhando juntos”, afirmou Carine Larsen, secretária-executiva da Cooprova. Ela acentuou que todos os anos a entidade vem atingindo as metas, alcançando mais mercados e fazendo com que o produtor cresça. Mônica ainda destacou o apoio das entidades nas conquistas.

O presidente Marnei Becker salientou as dificuldades enfrentadas pela entidade durante o ano de 2019, destacando o trabalho dos demais membros da diretoria e dos colaboradores.

PODER PÚBLICO

O secretário municipal de Desenvolvimento Rural, André Kaufmann, destacou a parceria da municipalidade com a Cooprova. “Não é somente a vontade do secretário em querer fazer, tem que ter o entendimento e a confiança das pessoas e isto a gente conseguiu, que foi estruturar a cooperativa”, frisou.

Ele enumerou algumas conquistas como o vale-feira para os servidores públicos municipais; a reestruturação do prédio da feira no centro, com recursos oriundos da I AgroFeira realizada em maio de 2018 e; o fornecimento de produtos para o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e outros programas institucionais, entidades assistenciais, presídios e 7º Batalhão de Infantaria Blindada (BIB) de Santa Cruz do Sul. Kaufmann ainda fez referência ao trabalho de parceria da vereadora Sandra Helena Wagner (PSB) para as conquistas da Cooprova. “É isto que nos faz ter forças como gestor público: trabalharmos unidos e melhorar cada vez mais a cooperativa.”


“O mercado está aí e a agricultura familiar precisa cada vez mais produzir.”

ANDRÉ KAUFMANN – Secretário Municipal de Desenvolvimento Rural


“O momento é de vocês, cooperativados. A confraternização faz pate e é uma conquista porque vocês buscaram este espaço”, frisou o engenheiro agrônomo e chefe do escritório municipal da Emater/RS-Ascar, Vicente Fin. Ele salientou que a cooperativa sempre precisa estar próxima de quatro entidades, que são a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural, Emater/RS-Ascar, Sindicato dos Trabalhadores Rurais e Sindicato Rural. “A cooperativa assumiu este papel que é preponderante no que tange aqueles produtos que não têm escala, pois não têm integradoras próximas e a Cooprova talvez seja o único viés para a distribuição dos produtos e da logística de mercado.”


“A Cooprova tem uma administração enxuta, onde quem arregaça as mangas são os próprios cooperativados.”

VICENTE FIN – Chefe do escritório municipal da Emater/RS-Ascar


SAIBA MAIS

  • Atualmente, 1,3 mil servidores públicos adquirem produtos da Cooprova pelo Vale-feira
  • O valor de venda para o 7º BIB de Santa Cruz do Sul soma R$ 60 mil por chamada pública.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome