Márcia Baierle agrega renda com a produção de morangos (Foto: Edemar Etges/Folha do Mate)

O morango, também denominado de moranguinho, é uma planta criada a partir do cruzamento de duas espécies nativas das Américas. É uma cultura muito difundida, não só comercialmente, em áreas médias e grandes, mas sobretudo em pequenas áreas e, principalmente, em hortas domésticas, para consumo próprio.

Conforme dados fornecidos pelo escritório municipal da Emater/RS-Ascar, em Venâncio Aires a cultura é produzida por 29 agricultores familiares em escala comercial. A extensionista rural Djeimi Janisch observa que a maior parte é cultivada pelo sistema de substrato em slebes suspensos em bancadas de madeira e em estufa plástica.

Com o foco voltado à agregação de renda da propriedade, Márcia Maria Baierle, moradora de Linha Hansel, há diversos anos vem investindo na cultura e conseguindo obter ótimos resultados. Este é o segundo ano em que produz morangos em slebes, num total de 2 mil mudas, sendo mil da variedade Albion e mais mil da variedade Mercedes. Márcia frisa que a produção de morangos é uma alternativa e agrega ao tabaco, que é a cultura principal da propriedade. Ela conta com a ajuda dos pais José e Ilce Sehn e do esposo Luciano.

Márcia observa que no início da produção, colhia uma vez por semana, agora são duas colheitas semanais. Acredita que assim que a temperatura for mais elevada, precisará colher mais vezes, pois o calor acelera a maturação das frutas. As vendas ocorrem em casa, por encomenda. Também fornece para o Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), ambos desenvolvidos pela Cooperativa de Produtores de Venâncio Aires (Cooprova). “Vendo tudo e não vendo mais porque não tenho uma produção maior”, observa, atribuindo a procura à qualidade e sabor dos frutos.


“Produzir morango é algo que adoro fazer, pois é uma atividade gratificante e terapêutica. Além de ser uma agregação de renda para a minha família.”

MÁRCIA MARIA BAIERLE – Agricultora familiar


Com 6 mil mudas plantadas, Rosilei Kolberg, agrega renda investindo no morango (Foto: Edemar Etges/Folha do Mate)

DIVERSIFICAÇÃO

Com um total de 6 mil mudas, das variedades Albion, San Andréas, Fronteiras e Monterrey, das quais 3 mil no cultivo em substrato e mais 3 mil numa estufa plástica, Rosilei Kolberg, moradora de Linha Bem Feita, também diversifica a produção de hortaliças e de tabaco da propriedade com morangos.

Ela conta que começou a investir nesta fruta há dez anos, quando ainda plantava no solo, porém, como este sistema deu problemas de fungos e doenças, há seis anos construiu, com recursos próprios, uma estufa plástica. No ano passado e neste ano, construiu mais três slebes. Para construir um deles, no dia 26 de dezembro de 2018, ela captou recursos no valor de R$ 7.864,49 pelo Programa Rotativo de Desenvolvimento Agropecuário de Venâncio Aires (Promagro).

Como as encomendas são muitas, Rosilei e o marido Valdemar, colhem a fruta todos os dias. Além das vendas na propriedade, Valdemar efetuas entregas diárias para diversos mercados.


“Me sinto realizada produzindo morangos e, quando vejo os canteiros coloridos com flores e frutas, provoca uma emoção diferente.”

ROSILEI KOLBERG – Agricultora familiar


SAIBA MAIS

  • Tanto Márcia Maria Baierle quanto Rosilei Kolberg contam com o apoio e assistência técnica da extensionista rural do escritório municipal da Emater/RS-Ascar, Djeimi Isabel Janisch. Ela também faz as encomendas das mudas de morango.
  • Djeimi destaca as vantagens que os consumidores têm em comprar morangos dos produtores locais. Ela observa que os frutos chegam mais frescos à mesa, pois são colhidos somente na véspera, o que garante um fruto de maior qualidade, mais doce e mais saboroso. “Este é o diferencial que fideliza o consumidor ao seu fornecedor”, salienta.

PREÇOS 

  • Bandejas de 250 gramas – R$ 4
  • Bandejas de 500 gramas – R$ 8
  • Bandejas de um quilo – R$ 16
(Foto: Edemar Erges/Folha do Mate)

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome