Cláudio Fengler (e) e Adair Pozzebon (d) e Bruna Richter Eichler (c) com cinco dos seis jovens rurais de Venâncio Aires que estudam na Efasc. (Foto: Edemar Etges/Folha do Mate).

“Optei em estudar na Escola Família Agrícola de Santa Cruz do Sul (Efasc), porque ela tem a proposta pedagógica voltada e focada na produção orgânica e agroecológica”. A manifestação é de Henrique Niedermeier, um dos seis jovens rurais de Venâncio Aires que está cursando o terceiro ano do Ensino Médio na Efasc, localizada no Seminário São João Batista, Linha Santa Cruz, município de Santa Cruz do Sul.

Uma semana, os alunos ficam na Efasc onde ocorrem as aulas teóricas e práticas e uma semana, eles colocam os aprendizados em prática nas propriedades de seus pais. Os alunos salientam que contam com o apoio dos pais, que há muitos anos estão querendo mudar o sistema produtivo convencional para o orgânico e agroecológico em suas propriedades e isto não era possível por falta de um maior conhecimento. “Com o que eu aprendo aqui, consigo aplicar na prática, principalmente na produção de tabaco, que é a principal produção e fonte de renda”, salienta Vinicuis Lisboa Kunz, aluno do primeiro ano e morador de Linha Bem Feita.

Também aluna do primeiro ano e neta de Leci Siebeneichler, que foi pioneira com uma agroindústria familiar de bolachas caseiras, Iasmin Becker, de Linha Maria Madalena, coloca que o aprendizado na EFA lhe oportuniza aprender outras e novas fórmulas de preparar e produzir bolachas caseiras e as coloca em prática na agroindústria familiar de seus pais Marnei e Liziane Becker. “Embora eu esteja apenas no primeiro ano, com o aprendizado, consegui fazer com que melhorasse de forma significativa a qualidade das bolachas e a maneira de produzir”, afirma.

Os alunos Matias Henrique Assmann, morador de Vila Arlindo, e, Christofer Schwendler, de Linha Harmonia da Costa, compartilham da mesma opinião dos demais colegas.


“Sou um admirador desta escola pois o meu filho estudou lá e todos que estudaram, a gente somente ouve falar bem dela.”

CLÁUDIO FENGLER – Presidente do STR de Venâncio Aires


FEIRA ECOLÓGICA

Aluna egressa Bruna Richter Eichler, moradora de Linha Andréas – ela se formou em 2016, é monitora da feira pedagógica realizada pelos alunos todas as segundas-feiras, das 17h às 19h. Ela articula com os alunos e os ajuda a entender os consumidores porque a feira é importante e que eles façam a feira acontecer. “Eles mesmo se ajudam e aqueles que têm mais experiência auxiliam os demais”, frisa.

ASSOCIAÇÃO

“Antes de ser uma escola, a EFA é uma associação de agricultores(as) que se unem para buscar uma educação contextualizada e adequada aos seus filhos e filhas. Assim começou a Efasc”, afirma
Adair Pozzebon, secretário executivo da Associação Gaúcha de Escolas de Família Agrícola (Agefa) e membro da coordenação da Efasc. Ele acentua que a Efasc é uma escola comunitária de ensino médio e técnico em agricultura, que utiliza a metodologia da Pedagogia da Alternância e atua com a premissa de valorizar os saberes populares e a realidade do estudante, envolvendo os pais e familiares diretamente no processo de ensino e aprendizagem.


“A agroecologia trabalha numa perspectiva de aproximação do ser humano com a natureza, de uma relação mais intrínseca com a realidade, de respeito e de promoção da vida. E isto bate diretamente com a realidade dos estudantes.”

ADAIR POZZEBON – Membro da coordenação da Efasc


DIRIGENTE SINDICAL

Na segunda-feira, 12, a tarde, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STR) de Venâncio Aires, visitou a Efasc e coloca que considera a escola um projeto muito bom, uma vez que hoje em dia, a demanda é cadas vez maior no consumo de produtos orgânicos. “Como sei que a EFA trabalha forte em cima desta questão, acho isto muito interessante e além disso, apenas aceita jovens que realmente têm interesse em trabalhar na lavoura familiar, E, para ser matriculado, o aluno obrigatoriamente precisa ser filho de agricultor familiar e isto favorece a dinâmica que a escola tem em fazer com que os alunos passem uma semana em casa e outra na escola”, avalia.


“Os alunos conciliam com as suas famílias um espaço para poderem produzir e colocarem em prática as suas experiências.”

BRUNA RICHTER ECIHLER – Monitora da Efasc


SAIBA MAIS 

  • Adair Pozzebon confirma que no dia 27 de setembro próximo, será inaugurada a nova sede da Efasc. Ela estará localizada na Alto Linha Santa Cruz, numa área próxima ao trevo de entroncamento de Monte Alverne e Linha Boa Vista, cerca de quatro quilômetros adiante do atual endereço.
  • A Efasc conta hoje com 110 alunos oriundos de dez municípios do Vale do Rio Pardo.
  • No total, o curso – ensino médio tem a duração de três anos, mais um ano de estágio, que é obrigatório.
  • Duas vezes por ano, todos os professores e monitores visitam as famílias para conhecer a realidade delas e dos alunos.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome