Os irmãos Rondineli, 32, e Samuel Lopes, 26, são os músicos da família Lopes. Sem qualquer influência de parentes próximos, os filhos de Rosane e Delmar Lopes são apaixonados por música desde pequenos. O mais velho, Rondineli, começou a tocar trompa aos 10 anos na banda do colégio Gaspar com o educador Ivo Seidel, o mesmo que foi professor do irmão mais novo.

Rondineli toca todos os instrumentos de sopro da ‘Família dos metais’ (trompete, trombone, trompa, tuba e bombardino). “Atualmente nas orquestras estou tocando Trompa”, ressalta. Ele decidiu entrar para a vida musical por influência do professor Ivo. “Na época que eu estudava no Gaspar ele fez testes com os alunos e passei”, lembra entusiasmado. Completa dizendo que, desde pequeno, seus pais lhe apoiavam para seguir a carreira musical.

Samuel olhava para o irmão mais velho e achava instigante aquele instrumento que ele assoprava e saía som, originando seu interesse pela música. “Lembro que quando era menor, eu e meus pais íamos assistir os ensaios do Rondi”, conta. Foi então que aos 11 anos decidiu aprender a tocar. Rondineli conta que foi ele quem ensinou o Samuel a tocar trombone. Samuel iniciou suas aulas na banda da escola Gaspar, entretanto, logo trocou de colégio e foi para o Monte das Tabocas, onde também tinha aula com o professor Ivo.

Ambos cursaram Música na Universidade Federal de Santa Maria. Porém, Samuel foi para a Marinha e transferiu sua faculdade para a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Atualmente, Rondineli está cursando Licenciatura Plena em Música no Instituto Superior de Educação Ivoti (ISEI). Ele já foi trompetista durante 4 anos na Orquestra Sinfônica da UFSM e 7 anos da extinta Orquestra Sinfônica da PUCRS. No momento está na Orquestra de Sopros de Novo Hamburgo (OSNH) e é professor de música na rede municipal de Campo Bom. “Tenho atuado como músico convidado na Orquestra Sinfônica de Porto Alegre (Ospa), Orquestra Sinfônica da Universidade de Caxias do Sul (UCS), Orquestra de Câmara do Teatro São Pedro e Orquestra de Câmara Fundarte”, completa.

No começo de suas carreiras, os irmãos se apresentavam muito com bandas. “Chegamos a tocar juntos em algumas noites e recitais”, diz Samuel. “Uma das apresentações que me marcou foi quando tocamos na missa de 50 anos de casamento  dos nossos avós maternos”, lembra Rondineli. O irmão mais novo fez parte da banda ‘Nova Atração’ e da ‘Bico Fino Brothers Band’, por alguns anos. Após foi chamado para servir no quartel, ele tocou na banda do exército de 2005 à 2010. Atualmente toca no Corpo de Fuzileiros Navais da Marinha, no Rio de Janeiro e almeja tocar futuramente em grandes orquestras como o irmão. “Tocava música popular, mas ver o Rondi se apresentar no recital da sua formatura na UFSM fez com que eu optasse pelo estilo erudita”, finaliza.