Em Venâncio Aires, um dos nomes que vem sendo cotados para concorrer a deputado em 2014 é o do ex-vereador Nilson Lehmen (PMDB). Em maio, o nome do venâncio-airense foi apresentado em encontro estadual da Juventude do partido. O PMDB gaúcho quer que ele concorra a deputado federal.

Lehmen esteve na Folha do Mate, nesta semana, para falar dos seus planos envolvendo as eleições do ano que vem. Nilson ainda não decidiu se concorre, mas disse que tem disposição. Como o partido já conta com uma pré-nominata de candidatos a deputado estadual, adiantou a possibilidade de uma candidatura a federal. Atualmente ele atua como assessor parlamentar do deputado estadual Edson Brum, que também é presidente do PMDB/RS. Segundo ele, esse envolvimento político lhe garante conhecimento e apoio em muitos municípios. Além de ter sido vereador, Nilson concorreu, no ano passado, a prefeito de Venâncio.

Entretanto, Lehmen afirmou que vai aguardar a definição do candidato a governador do Estado pelo PMDB, para tomar a decisão. O nome mais cotado é o do ex-prefeito de Caxias do Sul, José Ivo Sartori. Para afinar a discussão, o partido está promovendo 15 reuniões regionais que culminarão com um congresso estadual. Na região o encontro está agendado para 6 de julho, em Candelária. As reuniões servirão também para elaborar a proposta de governo do futuro candidato ao Piratini.

Somente após esses encontros que Nilson pretende definir se concorre ou não, o que deve ser anunciado em agosto ou setembro. “Quero saber o que Venâncio e a região vai ganhar com a minha candidatura”, disse. Para ele, o candidato tem que ter consciência popular, mas acima de tudo, buscar base fora do município para ter os votos necessários. Além disso, revelou que pretende conversar com o candidato ao governo estadual, para avaliar uma possível participação de Venâncio, caso o partido volte ao comando do Estado. Nilson deu o exemplo do tucano Leandro Haag, que concorreu a deputado por Venâncio, não se elegeu, mas teve participação no governo de Yeda Crussius (PSDB) e com isso, ajudou a intermediar a liberação de recursos para o município. Embora o peemedebista esteja confiante do retorno do partido ao comando do Piratini, Lehmen destaca o favoritismo da senadora Amélia Lemos, pré-candidata pelo PP.

Outro ponto-chave e que é determinante na decisão é a formação de Nilson em Direito. Ele que está matriculado no último semestre do curso, na Universidade de Santa Cruz do Sul, também se prepara para concluir a monografia que terá como tema o consórcio público e desenvolvimento rodoviário, que consiste em uma alternativa para o Estado asfaltar e garantir a manutenção das rodovias do Rio Grande do Sul. A ideia de Lehmen, é apresentar a proposta ao candidato a governador pelo PMDB.