Princípio de incêndio aconteceu no altar de Nossa Senhora Aparecida, em agosto (Foto: Carlos Dickow/Folha do Mate)

A determinação adotada pela Paróquia São Sebastião Mártir (PSSM) que proíbe o acendimento de velas no interior da igreja matriz, continua em vigor. A medida foi adotada pelo conselho de administração logo após o incêndio ocorrido no altar de Nossa Senhora Aparecida, em agosto.

O pároco Rodrigo Eduardo Hillesheim reforça que o queimador de velas foi retirado. “Acreditamos que as velas fazem parte da devoção do povo, mas também, compreendemos que trazem riscos ao templo e, por isso, devemos ter mais cautela. Afinal, estamos lidando com uma construção histórica que está no coração da fé do povo que crê”, salienta.

O padre Rodrigo pede desculpas pelo inconveniente e observa que essas coisas acontecem. “Nos ajudam a valorizar o que temos e a crer ainda mais na Mãe de Deus. Mesmo que o incêndio possa ter sido provocado, segundo testemunhas, colheremos o bem, apesar do mal. Para o futuro, podemos pensar em outras possibilidades que venham de encontro a fé do povo santo de Deus.”

Após o incêndio registrado no interior do templo, foi ventilada a instalação de velas eletrônicas, decisão que, segundo o presidente do conselho de administração, Elmo Fengler, caberá aos próximos gestores, que assumirão no fim do mês de novembro.

LEIA MAIS:

Bombeiros combatem princípio de incêndio na Matriz

Paróquia busca causa de incêndio e trabalha para providenciar PPCI

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome