Garantia de manutenção e das obras necessárias de fiscalização do Acesso Dona Leopoldina, principal acesso intermunicipal de Venâncio Aires. Com este objetivo o Município aguarda a finalização do processo de municipalização do Acesso. Ontem à tarde o prefeito Airton Artus esteve em Porto Alegre em reunião no Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) a fim de agilizar a demanda.

A Prefeitura busca a muicipalização do trecho da ERS-244 na extensão que inicia na esquina da rua dos Expedicionários com a rua Osvaldo Aranha e termina junto ao trevo da RSC-287. O pedido é uma reivindicação antiga da prefeitura, e busca garantir a possibilidade da Administração de realizar investimentos as margens da rodovia. A proposta de implantar no local um caminhódromo e uma ciclovia, projeto de 2008, é retomado pelo governo municipal.

Atualmente o trecho da ERS-244 é administrado pelo Daer e é justamente via a autarquia que o Município precisa de autorização para municipalizar o trecho.

Queremos agilizar este processo, está parado há tempo e queremos uma resposta. Se não garantirmos a municipalização, vamos buscar uma autorização para esta obra

Sem qualquer tipo de posicionamento do departamento, o prefeito afirma que se nem uma das formas for garantida para iniciar os investimentos, será cogitada o ingresso na justiça, alegando falta de segurança para os pedestres e ciclistas que precisam utilizar a via para se deslocar até o centro da cidade.

A previsão inicial do chefe do Executivo é de que o novo espaço exigirá investimentos na ordem dos R$ 800 mil, recursos que serão captados no Governo Federal.

Projeto do caminhódromo está há 6 anos na gaveta

O projeto de construção de uma ciclovia e caminhódromo, foi lançado pela prefeitura em 2008. O projeto original, elaborado pela empresa Pró- Cidades Consultores Associados em parceria com a equipe da Secretaria Municipal de Planejamento, previa R$ 3,7 milhões para colocá-lo em prática.

De 2008 para cá, o Acesso contabiliza o recapeamento asfáltico, finalizado em maio de 2010. A continuidade seria transformar as laterais dos três quilômetros que ligam o centro da cidade até a rodovia em uma ciclovia junto ao acostamento, no lado direito do fluxo de tráfego de entrada da cidade e um caminhódromo, preservando o paisagismo. De acordo com o projeto, ao longo do espaço seria feitos recantos especiais para descanso, com bancos, bebedouros, barras de alongamentos, escadas e rampas de acesso para deficientes, e o percurso seria iluminado.