Todos os filhotes foram adotados após a divulgação das fotografias nas redes sociais (Foto: Leíne Bertotti/Divulgação)

Com os abrigos de cães e gatos abandonados lotados, é preciso criatividade para atrair tutores e fazer com que os animais abandonados possam ganhar um novo lar. A iniciativa da fotógrafa Leíne Bertotti auxiliou na doação de filhotes após sessões de fotos newborn – técnica usada com bebês recém-nascidos.

Para ajudar a ONG Amigo Bicho, a profissional fotografou três ninhadas de forma voluntária. “Além de ser um trabalho que eu amo, sabemos que fotos produzidas acabam chamando mais a atenção nas redes sociais, o que faz com os animais sejam adotados mais rápido”, diz.

Leíne também fez uma sessão para a ONG Protetores Santa Cruz, onde adotou o seu cachorro, Brownie, que inicialmente seria um lar temporário mas ficou definitivo.

Uma das ninhadas fotografadas em Venâncio Aires foi dos filhotes de Preta, que estava em um lar temporário quando deu cria. A secretária Roberta Jaqueline Wingelmann, 34 anos, viu uma postagem na rede social da ONG Amigo Bicho sobre uma cachorra prestes a dar à luz que estava sem abrigo. “Eu já tenho um cachorro que adotei através da Amigo Bicho e resolvi acolher ela na minha casa”, conta.

Roberta conta que levou para casa a cachorra prenha e em quatro dias ela deu cria. “Ela estava só esperando um cantinho para poder ter os filhotes no sossego. Foi uma experiência muito gratificante”, afirma.

Filhotes tinham 14 dias quando o ensaio foi feito (Foto: Leíne Bertotti/Divulgação)

Quando os cinco filhotes tinham 14 dias foram feitas as fotos e, segundo ela, fizeram sucesso, fazendo com que as pessoas procurassem a Amigo Bicho. Todos os cachorros já foram adotados e agora é a mãe dos filhotes que procura um lar permanente. Preta foi castrada e agora será levada nas feiras realizadas pela entidade para procurar um lar. “Eu até ficaria, mas como moro com casa de aluguel tenho medo de não ter onde deixar no caso de ir para outro lugar”, afirma.


“Se não puder adotar, seja lar temporário de algum animal que precise. Tem muitos bichinhos precisando de uma acolhida em algum momento.”

ROBERTA JAQUELINE WINGELMANN – Secretária


TÉCNICA 

As inspirações para cenários, acessórios, luz e tipo de lente usada são iguais às utilizadas na técnica newborn convencional para bebês. “De diferente temos a questão do barulho, que cuidamos com o bebê, mas com os filhotes não é preciso se preocupar, já que nascem surdos”, explica Leíne.

Ela também afirma que bebês são bem moldáveis, sendo possível poses como colocar os pés embaixo da barriga ou a famosa pose do sapinho (braços apoiando a cabeça). Com os cachorros isso não é possível pois eles são mais rígidos. O ideal é fazer o newborn até 20 dias de vida do filhote, pois é quando eles mais dormem. É preciso ter cuidado no manuseio dos filhotes e com a higiene. Os acessórios são higienizados antes e depois de cada sessão pra que não se transmita nada entre as ninhadas.

Técnicas semelhantes às sessões feitas com bebês são realizadas com os pets (Foto: Leíne Bertotti/Divulgação)

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome