Décio, Maria Eduarda, Leonardo e Sandra Beatris formam a família Wagner, uma das organizadoras da 144ª Festa do Bastião (Foto - Edemar Etges/Folha do Mate)

“Fomos convidados pela primeira vez, logo dissemos ‘sim’ e aceitamos o desafio. Vamos honrar este convite para a organização da 144ª edição da festa. Da nossa alegria compartilham nossos filhos que têm participação significativa na comunidade”. As palavras acima são do casal Décio Luís e Sandra Beatris Berté Wagner, no momento da apresentação e posse como festeiros desta edição da Festa do Bastião, na noite do dia 20 de janeiro de 2019, no pavilhão de eventos São Sebastião Mártir. Dando sequência às entrevistas, na edição de hoje apresentamos o casal Décio Luís e Sandra Beatris Berté Wagner. Eles falam do bairro Aviação, onde residem, e da missão que assumiram.

QUEM SÃO

Décio Luis Wagner, 49 anos, é aposentado e casado com a comerciante Sandra Beatris Berté Wagner, 48 anos. O casal tem dois filhos: Leonardo Daniel e Maria Eduarda Wagner, e ambos ajudam na animação nas missas. A família Wagner pertence à Comunidade São Lucas, do bairro Aviação. Décio é ministro há 26 anos, participa da liturgia e integra o Conselho Administrativo da comunidade. Sandra é coordenadora de catequese e auxilia na liturgia.

Qual o bairro e há quanto tempo residem nele? Falem um pouco do bairro, suas características, o que ele tem de diferente dos demais e como é morar na região.

Residimos no bairro Aviação. A Sandra desde que nasceu e o Décio desde que casaram, há 25 anos. O bairro é tradicionalmente conhecido por ser um misto de diversas etnias e de pessoas que se ajudam, vizinhos que se conhecem e se visitam, pois ainda é possível encontrar cidadãos que moram há anos no bairro. Mas, também, devido ao crescimento nos últimos anos, vieram muitos novos moradores. Temos escola, creche, encontramos uma vasta opção de comércio e serviços sem precisar sair do Aviação. Gostamos muito de morar aqui por ser um lugar calmo e pela boa vizinhança. Até pouco tempo nosso filho jogava bola na rua com os amigos vizinhos. Tivemos a alegria de ver o crescimento e o desenvolvimento do nosso bairro e também de nossa comunidade São Lucas, que há 30 anos, desde o tempo de namoro, participamos ativamente e na qual fizemos muitas amizades.

O que representa para vocês participar da organização da 144ª Festa de São Sebastião Mártir?

É uma honra sermos festeiros da quarta maior festa religiosa do estado, e é com comprometimento e responsabilidade que assumimos, juntamente com os outros casais festeiros, a 144ª edição do evento em honra ao nosso padroeiro. Ser festeiro é servir com fé e alegria a Deus e à comunidade. É poder conhecer e participar um pouco da vida das outras comunidades e fazer amigos. A festa ajuda a manter as pastorais de evangelização e de ações sociais, oferece à cidade não só lazer e diversão, mas também mexe com a religiosidade e a espiritualidade de um povo devoto de São Sebastião. Orações e bênçãos recebidas durante as trezenas e peregrinações são momentos fortes e marcantes nesta missão. A Festa de São Sebastião é uma das manifestações mais antigas de Venâncio, que vem se se aprimorando a cada ano. Durante o ano fomos a diversas festas para divulgar e passamos pelo comércio e indústria de Venâncio Aires.

Como receberam o convite para esta missão?

O dia 20 de janeiro de 2019 vai ficar marcado em nossas vidas. Devido ao nosso envolvimento na comunidade e apostas de quem seriam os próximos festeiros, sabíamos que este convite um dia poderia chegar, mas quando chegou, ficamos muito nervosos. É um sentimento misturado com ansiedade e medo por conta da grandiosidade e responsabilidade que seria assumir a 144ª Festa de São Sebastião Mártir. Ao mesmo tempo, alegria pela escolha entre tantas pessoas. Fomos convidados pela primeira vez e demos o nosso ‘sim’, não conseguimos negar diante de tanta alegria demonstrada por nossos filhos, em especial a caçula, que ao perguntarem se ajudaria nesta missão, pulava de alegria e era somente sorrisos. Na noite do dia 20, quando fomos apresentados e empossados, também é algo que apenas quem vive sente a emoção deste momento, que hoje se resume em gratidão por tudo o que foi vivido nesta caminhada até aqui.

Desde que foram empossados, vocês vêm convivendo com os outros dois casais festeiros. Como está sendo esta convivência? Como são os entendimentos para organizar a festa?

A nossa convivência é muito tranquila. Durante a caminhada, não tivemos atritos ou problemas, sempre conversamos e trocamos ideias sobre a Festa do Bastião, alguns assuntos pessoais e até a roupa que iríamos usar nos eventos era em acordo. Realizamos diversos encontros entre as famílias para uma melhor convivência. Formamos uma nova família, estreitamos laços, fomos nos integrando na vida dos outros dois casais. Agora que estamos perto da festa, a organização é responsabilidade da diretoria e equipes. Nós fizemos a divulgação nas comunidades, organizamos a ação entre amigos junto com uma comissão, procuramos as atrações e sempre com aval da diretoria. Estamos nos esforçando para um grande êxito da festa.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome