Felipe tem uma égua que fica no interior e, em casa, um cachorro de estimação, o Guri (Foto: Eduarda Wenzel)

A atuação do médico veterinário é vista, muitas vezes, apenas voltada aos animais domésticos. Porém, o profissional também está habilitado a desenvolver um trabalho que reflete diretamente na saúde das pessoas. O médico veterinário, Luciano Frozza, destaca que muitas doenças que acometem os animais podem, com maior ou menor facilidade, atingir o homem através do consumo de carne, do leite e do sangue.

Por meio da inspeção em matadouros, frigoríficos, usinas de leite e outras indústrias de alimentos, o inspetor veterinário – por ter conhecimentos em patologia, microbiologia e sanitarismo – está em condições de detectar doenças, evitando que a carne, o leite, e os subprodutos oriundos de animais doentes sejam consumidos ou entrem em contato com a população. “É uma função essencial do médico veterinário. Dessa forma vemos a importância de não consumir produtos clandestinos”, reforça.

Frozza também ressalta que no campo da saúde pública, a medicina veterinária tem participação efetiva, estabelece a profilaxia das doenças de animais passíveis de atingir o homem (zoonoses), de modo a preservar a saúde pública.

Escolha

Desde a infância, Felipe Kunkel Bülow, 38 anos, gosta do contato com os bichos. O veterinário é formado pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e atua há cerca de dez anos em Venâncio Aires e região atendendo animais de grande porte.

Quando criança, Bülow lembra que adorava ir visitar amigos no interior, por isso quando precisou decidir em qual área seguir, escolheu dos animais de grande porte. “É uma profissão com uma ampla área de atuação, mas eu sempre gostei do interior, então preferi seguir com os animais maiores.” Os animais considerados de grande porte são bois, vacas, cavalos e ovelhas. “Não tem definição por quilo. Normalmente entendemos animais de produção como de grande porte”, explica.

Atendimento no local 

Segundo Bülow, nesta área dificilmente se tem uma clínica para atender, pois é mais fácil ir até o local onde o bicho está. “Minha caminhoneta é meu escritório. Quando preciso fazer uma cirurgia tem que ser no local que o animal está, não tem como locomover ele”. Além dos procedimentos de saúde, ele diz que em alguns animais, como a vaca, se trabalha bastante a reprodução.

Entre os serviços do veterinário, também estão as vacinas que, segundo ele, são de extrema importância para a saúde do bicho. “O teste de tuberculose em animais deveria ser exigido. Quando se compra um boi, por exemplo, é importante fazer esse exame, pois caso ele tenha a doença pode transmitir para os outros do rebanho, fazendo com que o produtor tenha prejuízo na produção.”

Sobre a profissão, Bülow afirma que constantemente surgem novos desafios, então é necessário estar sempre se atualizando. “É um ramo que precisa de amplo conhecimento, pois sempre tem algo diferente”, finaliza.


“É uma profissão para quem realmente gosta de animais e quer ajudá-los.”
FELIPE KUNKEL BÜLOW – médico Veterinário

Apoio necessário para o sucesso do negócio

A família Frey, que trabalha com bovinocultura leiteira há 50 anos, possui um plantel de 90 vacas em lactação. Os produtores afirmam que o sucesso da propriedade está ligado ao trabalho que o veterinário desempenha. “No nosso caso engloba o bem-estar e conforto do animal, sanidade, nutrição, reprodução e produção”, comenta a bióloga, Marina Henckes Frey.

A família utiliza muito o serviço do profissional, pois a saúde dos animais garante mais retorno na renda da propriedade através da atividade leiteira. “Em nossa propriedade, com a frequente visita do veterinário pudemos identificar quais animais apresentavam pouco rendimento reprodutivo, permitindo assim a seleção dos bichos”, acrescenta.


“O médico veterinário serve de apoio as nossas ações, auxiliando em várias tomadas de decisões. E o resultado dessa parceria garante uma produção com qualidade e segurança.”
MARIANA HENCKES FREY – Bióloga e produtora

 

Irio Frey com a filha Marina e os netos Lucca e Emanuel (Foto: Arquivo pessoal)

Saiba mais sobre o Dia do Veterinário

  • Dia 9 de setembro, é comemorado o Dia do Veterinário porque foi exatamente nessa data, em 1933, que o presidente do Brasil, na época Getúlio Vargas, assinava o Decreto Lei nº 23.133, que regulariza a profissão e o ensino da medicina veterinária no país. Porém, os cursos de formação da área já existiam no Brasil desde 1910. (Fonte: calendarr.com)

*Colaboração de Eduarda Wenzel

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome