Uma verdadeira aula de empreendedorismo e, por que não dizer, também, de história, marcaram a primeira edição deste ano do Happy Hour da Câmara de Comércio, Indústria e Serviços de Venâncio Aires (Caciva). O encontro, realizado na noite de terça-feira, 12, na Choperia Brahma, contou com bate-papo com o empresário Walter Bergamaschi, 72 anos.

O proprietário da Venax Eletrodomésticos compartilhou com profissionais de diferentes empresas de Venâncio Aires, sua trajetória e a história da indústria que deu início ao polo metalmecânico do município.

Ele lembrou que, após comprar a marca, os pavilhões velhos da empresa, almoxarifado e matrizes, no leilão da massa falida da empresa, em 1984, nos primeiros anos da Venax, constatou-se a dificuldade de encontrar profissionais especializados na cidade, em áreas como eletricidade e engenharia.

A partir disso, buscou-se a implantação da unidade do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) no município. “Trouxemos o Senai para formar profissionais e, a partir disso, várias novas empresas do ramo surgiram. Mais tarde, promovemos curso de Refrigeração, com professores que vinham de Rio Grande. A partir disso, criou-se aqui um grande centro de refrigeração”, salientou.

AÇÕES E REAÇÕES Bergamaschi também recordou decisões e ações que garantiram a consolidação da Venax como produtora de fogões e refrigeradores, apesar dos desafios e das diversas crises que afetaram a economia brasileira, como o Plano Cruzado e o Plano Collor, no fim da década de 1980, altas na inflação e a necessidade de reconquistar mercado interno, no início da década de 1990.

De acordo com ele, a verticalização da produção e a diversificação de produtos são fatores importantes para essa sustentabilidade. Durante o Happy Hour, o empresário lembrou que o ideal para uma empresa é que ela esteja próxima do mercado consumidor ou da matéria-prima, mas, que no início da Venax, em Venâncio Aires, não havia nenhum desses aspectos.

“Aqui tinha mão de obra e cerca de 700 funcionários desempregados pela falência da empresa. Se não tivéssemos aberto a Venax e retomado a produção de fogões, dificilmente, o conhecimento para montagem de fogões desses trabalhadores seria recuperado no tempo”, observou.

A partir disso, ao longo dos anos, a Venax buscou verticalizar o processo de produção e aproveitar, da melhor forma possível os profissionais. “Não estávamos próximos da matéria-prima, mas tínhamos mão de obra. Verticalizar é fazer com que a empresa cresça fazendo os próprios produtos. A matéria-prima entrava bruta e o produto saia pronto da fábrica”, detalha Bergamaschi.

Foto: Juliana Bencke / Folha do MateEmpresário relembrou fatos importantes da história da Venax
Empresário relembrou fatos importantes da história da Venax

“Acredito muito em Venâncio Aires. É município que tem um belo futuro porque é equilibrado. Tem indústrias, serviços e uma agricultura familiar forte, com bons produtos.”WALTER BERGAMASCHIEmpresário

DiversificaçãoWalter Bergamaschi também enfatizou a importância da diversificação, em uma empresa. “Não se pode ficar limitado a um produto. Quando éramos atacados em uma ponta, criávamos outro produto”, comentou, ao observar que isso também contribui com a logística. “Em vez de se fazer um trajeto maior apenas com fogões, se percorre uma distância menor com vários produtos.”