Na Capital do Chimarrão, autorização para entrada de animais já ocorre desde 2015 (Foto: Pixabay/Divulgação)

A entrada de animais de estimação já é permitida no Hospital São Sebastião Mártir (HSSM) desde 2015. No entanto, em âmbito estadual, a permissão está prestes a virar realidade a partir de um projeto de lei encaminhado à Assembleia Legislativa pelo deputado do PTB, Dirceu Franciscon. O projeto aprovado será sancionado pelo governador Eduardo Leite no dia 31, às 11h.

De acordo com a gerente de apoio assistencial do hospital, Susan Artus Dettenborn, a instituição entendeu que os animais têm esse pertencimento às pessoas. “Quando você escolhe ter um animal de estimação, você dedica a ele seu amor, tempo, carinho e ele é uma parte integrante do dia a dia e da vida da pessoa”, pontua. Sendo assim, em algumas situações, quando o paciente interna e permanece durante um tempo afastado desse animal, sabe-se que ocorre o sentimento de falta. “Uma falta real mesmo, como se fosse de uma outra pessoa que ela quisesse conviver. Por isso, a gente autoriza essa entrada no hospital”, explica.

Para conseguir que o animalzinho de estimação visite seu dono na casa de saúde do município, por exemplo, é preciso que alguns critérios sejam cumpridos. Tudo isso para que a prática não se torne frequente e, também, um problema. No hospital de Venâncio Aires, a visita só é permitida a partir do décimo dia internado e de acordo com a condição clínica desse paciente. “Essa solicitação parte da família ou do próprio paciente. A partir disso, avaliamos qual o tamanho desse animal, o tipo de estrutura que vamos precisar organizar para recebê-lo com a equipe e a família”, completa.

Até o momento, segundo Susan, já foram autorizadas quatro visitas dos animais de estimação aos seus tutores. Algumas delas, foram na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), ambas acompanhadas pela equipe e autorizadas pelo médico.

EXIGÊNCIAS

Para que esse acesso seja permitido, o Hospital São Sebastião Mártir (HSSM) solicita um documento que ateste que todas as vacinas do animal estão em dia. Susan explica que é orientado que, principalmente, o cão passe por um banho antes de ir até o local. “Pedimos que seja dado um banho apenas com água sem a utilização de shampoos, talcos ou perfumes. É recomendado que não sejam colocados também os enfeites para que seja possibilitado um contato mais próximo ao dono.

Todo esse material de autorização é anexado juntamente com a ficha do paciente.

SOBRE O PROJETO DE LEI

  1. O projeto do lei que tramita em âmbito estadual autoriza a entrada de qualquer tipo de animal, como cães, gatos, pássaros, coelhos, chinchilas, tartarugas, hamsters, outras espécies devem passar pela avaliação do médico do paciente para autorização, segundo o quadro clínico do mesmo.
  2. O transporte dos animais dentro do ambiente hospitalar deverá ser realizado em caixas específicas para este fim, de acordo com o tamanho e a espécie de cada animal-visitante, ressalvado o caso de cães de grande porte.
  3. Conforme o projeto, em algumas áreas o animal não será permitido como em situações de isolamento, quimioterapia, transplante, assistência à pacientes vítimas de queimaduras, na central de material e esterilização, na UTI, nas áreas de preparo de medicamentos, na farmácia hospital e nas áreas de manipulação, processamento, preparação e armazenamento de alimentos.
  4. Para que o animal acesse a instituição de saúde será necessário um laudo veterinário atestando as boas condições de saúde do animal, acompanhado da carteira de vacinação atualizada, com a anotação da vacinação múltipla e antirrábica, assinada por médico veterinário com registro no órgão regulador da profissão.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome