Dois cargos em comissão (CCs) do PSD – Marcos Hüttmann, assessor administrativo da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo, e Luiz Felipe Müller, chefe de setor e equipe da Secretaria de Meio Ambiente – foram exonerados de suas funções nesta quinta-feira, 7.

A notícia dos desligamentos repercutiu rapidamente no meio político da Capital Nacional do Chimarrão, uma vez que dispensas de CCs da legenda eram ventiladas, em represália à postura do vereador Nelsoir Battisti (PSD), que apresentou chapa de oposição a Eduardo Kappel (Progressistas) na eleição para a Mesa Diretora da Câmara, em dezembro do ano passado. Kappel foi bancado pelo governo e hoje é o presidente do Legislativo.

Os CCs foram avisados de suas dispensas pela secretária de Administração, Loreti Scheibler, bem próximo do fim do expediente diário. O clima ficou pesado no Executivo, pois Hüttmann e Müller eram considerados excelentes servidores e foram pegos de surpresa. Hüttmann, inclusive, passou a ser chamado de ‘Capitão’ do Desenvolvimento Econômico – brincadeira feita com ele pelo prefeito Giovane Wickert – quando Nelsoir Battisti deixou a secretaria e assumiu o mandato no Legislativo. “É engraçado. Me chamavam de Capitão e agora não sirvo mais”, declarou ele, nesta sexta-feira, 8, à reportagem da Folha do Mate, dizendo que se sente frustrado e que lamenta que questões pessoais tenham gerado sua dispensa.

O ex-assessor lembrou que é coordenador comercial da Festa Nacional do Chimarrão (Fenachim) e que conversou com a presidente Cleiva Heck para colocar o cargo à disposição, mas ela disse que faz questão da sua permanência. “Como a presidente garantiu que conta comigo, vou continuar a auxiliar nesta função”, afirmou. Ainda em relação ao cargo que deixa de ocupar na Administração, Hüttmann declarou que “gostava muito do trabalho e tinha muitos retornos positivos, por isso que a gente se frustra, pois a exoneração não é por incompetência, mas por questões políticas, ou melhor, por causa da velha política”.

LAMENTAÇÃONelsoir Battisti preferiu não polemizar nos comentários em relação às dispensas, mas lamentou as saídas dos integrantes do PSD. Ele ressaltou, especialmente, o caso de Marcos Hüttmann, “um cara extremamente técnico, com formações em Administração e Marketing, sempre disposto a trabalhar e que vai fazer muita falta no Executivo”.

Ele afirmou que as questões referentes ao partido devem ser tratadas pelo presidente, Chico Rech. “Eram dois excelentes funcionários. Não tenham dúvida de que o Município sai perdendo. Sobre a questão partidária, a prerrogativa da palavra é do nosso presidente”, reforçou Battisti.

“Estava bem empregado na iniciativa privada quando recebi o convite para assumir na Prefeitura. Foi uma escolha minha e eu sabia que a política é complicada. Pensei que pudesse fazer algo novo, mas infelizmente fui exonerado e vou buscar recolocação no mercado.”MARCOS HÜTTMANNEx-assessor de secretaria

“Nada a ver”, diz Krämer

Prefeito em exercício, Celso Krämer (PTB) garantiu nesta sexta-feira, 8, que as exonerações não foram feitas em represália a Nelsoir Battisti. “Nada a ver. Tanto não foi para atingir o Nelsoir que o rapaz que colocou um comitê dele (Battisti) em casa, na eleição, continua como CC”, afirmou, em referência a Jonas Schneid, integrante do PSD que atua no setor de Tecnologia da Informação (TI) da Prefeitura.

Segundo apurou a reportagem da Folha, os outros CCs do partido no governo são Simone Rech, esposa do presidente do PSD, Chico Rech, lotada na Secretaria de Planejamento, e Everton Dias, chefe do Departamento de Saúde da Secretaria da Saúde, indicação do vereador Zé da Rosa (PSD).

Krämer ainda salientou que o novo secretário de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo, Nilson Lehmen (MDB), precisa ter liberdade para montar a sua equipe de trabalho. “É natural que isso aconteça, pois o Nilson tem a turma dele, vai querer um homem de confiança. O Marcos era um bom servidor, não temos qualquer queixa dele, mas o secretário tem essa prerrogativa.

Não tem nada de perseguição”, disse. Lehmen, por sua vez, elogiou a dedicação e empenho de Hüttmann, mas confirmou que trabalha na montagem de uma nova estrutura na secretaria. “Eu indicaria o Marcos para qualquer função, é um excelente quadro. No entanto, esta é uma questão política e eu pretendo ter mais uma ou duas pessoas, talvez, para me organizar na pasta”, argumentou, sem citar nomes para reposição.

PALAVRA DO PRESIDENTE

1 Presidente do PSD, Chico Rech declarou nesta sexta-feira, 8, que não foi informado, com antecedência, de que os quadros do partido seriam exonerados. “Não conversaram comigo, fiquei sabendo pelo Marcos (Hüttmann), que me mandou uma mensagem”, afirmou.

2 Rech informou ainda que não pretende procurar o prefeito em exercício, Celso Krämer, para falar a respeito das exonerações. “Vou esperar o prefeito Giovane Wickert voltar de férias. O Celso é o prefeito em exercício, tem autoridade para isso e temos que respeitar”, disse.

3 O dirigente partidário admitiu, no entanto, que “a questão pessoal” entre Celso Krämer e Nelsoir Battisti pode ter influenciado na decisão. Porém, pediu cautela e falou que vai buscar o diálogo no momento oportuno. “Também sou empregador e, às vezes, tenho que desligar e contratar pessoas. Ajudei a eleger este governo, não concordo com tudo o que acontece na Prefeitura, mas a parceria está mantida”, ponderou.

4 Ele não acredita que as exonerações possam enfraquecer o partido e que seguirá conduzindo o processo de crescimento do PSD em Venâncio Aires, mas também revelou que, se for necessário buscar novos ares para manter viva a chance de se eleger vereador, tomará a decisão com a consciência tranquila.

5 “A intenção é ficar no PSD e crescer com ele, mas se não for possível, ali na frente é preciso olhar pra frente. Nunca escondi meu desejo de ser vereador e o fim das eleições proporcionais dificultam ainda mais a chegada à Câmara. Estamos buscando a formação de uma nominata, vamos ver como as coisas vão acontecer”, comentou.

6 Sobre o fato de sua esposa ocupar um CC e não estar entre os exonerados, Rech foi enfático: “Ela é um quadro técnico, com formação no exterior e que é muito importante na Secretaria de Planejamento. Agora, se tiver que sair da Prefeitura, não tem problema nenhum, porque tem os clientes dela e vai seguir a vida”.

Contatado pela reportagem da Folha do Mate, o prefeito Giovane Wickert (PSB) afirmou que o responsável pelo Executivo, neste período, é Celso Krämer. “Não vou emitir opinião durante as férias”, restringiu-se a dizer.