Foto: Guilherme Siebeneichler / Folha do MateAssembleia ocorreu na noite desta sexta-feira, na Câmara de Vereadores
Assembleia ocorreu na noite desta sexta-feira, na Câmara de Vereadores

O Sindicato dos Servidores Públicos de Venâncio Aires realizou nesta sexta-feira, 4, mais uma assembleia extraordinária. O funcionalismo público se reuniu para colocar em votação uma nova proposta apresentada pelo Poder Executivo municipal. Os servidores aprovaram o reajuste salarial de 7,02% e R$ 100 de vale alimentação.

Além disso, com a aprovação está anulada a paralisação agendada para os dias 7 e 8. A proposta apresentada pela Administração Municipal mantinha a concessão de reposição inflacionária do período de março de 2013 a fevereiro de 2014, do percentual de 5,82%. Também o aumento real de 1,20% a partir do mês de julho. A efetivação do vale alimentação foi antecipada para setembro, a proposta anterior estipulava o mês de novembro.

Bem como a garantia de concessão do beneficio aos servidores públicos com carga horária semanal de 20 horas no percentual de 50% do valor do vale.Durante a assembleia, que reuniu cerca de 85 pessoas, alguns trabalhadores municipais manifestaram descontentamento sobre a condução dos últimos encontros. Para o servidor José Agnes, que atua há 11 anos no município junto a Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos, os debates são democráticos e precisam respeitar a opinião de todos. “é muito fácil reclamar, mas não podemos deixar o nosso debate ser inflamado por argumentos pequenos. Precisamos pensar em como melhorar as discussões salariais, e começar mais cedo as negociações.”

A vereadora Ana Cláudia do Amaral Teixeira (PDT) participou da reunião, porém, falou como servidora. Ela já atua na prefeitura há 19 anos e afirmou que as discussões precisam ser coerentes. “é um vale alimentação modesto, sabemos disso, mas não podemos pegar exemplos de Santa Cruz do Sul, lá não existe fundo previdenciário, por isso, é possível destinar mais recursos para vale alimentação.”

Ana Cláudia destaca que é necessário mais envolvimento dos servidores nas questões do sindicato. “Não podemos mais se sentir sem representação no sindicato, precisamos se informar mais das ações e participar mais das discussões.”

Para o servidor Dieferson Umbelina, o debate precisa ser melhorado entre todos os trabalhadores. “Poderemos no próximo ano iniciar estas negociações mais cedo. Defendi a proposta já na assembleia da terça-feira, porém não fui bem aceito. é uma boa proposta, a grande maioria está de acordo.”

MUDANçAPara o presidente do sindicato, élio Darlei Costa Machado, a mudança radical de opinião dos servidores, sobre o reajuste, é reflexo de manifestações de alguns colegas. “Eu acredito que nas duas primeiras assembleias um colega fez manifestações fortes e os trabalhadores concordaram em realizar uma paralisação e serem contrários ao reajuste.” Segundo Machado, alguns servidores, após tomarem conhecimento do resultado da assembleia de terça-feira, 1º, perceberam que houve um percentual de diferença muito pequeno do que a categoria exigia, que era 8%.