Os trechos com passagens mais elevadas tem por destino Linha Saraiva, Taquari Mirim, Picada Nova Linha Reversa e Travessão Mariante (Foto: Alvaro Pegoraro/Folha do Mate)

Quem anda de transporte coletivo, desde o início da semana, já notou ser necessário um desembolso maior. Entraram em vigor as novas tarifas para o transporte das linhas interdistritais e urbanas de Venâncio Aires. Quem já notou a diferença é Niuza Luz que reside no bairro Coronel Brito. Ela, além de precisar de ônibus para se deslocar até o Centro, vai com frequência visitar familiares em Picada Nova, que fica em Vila Estância Nova.

Pelo reajuste, as linhas do interior tiveram uma alta de 5,30% e a tarifa mínima adotada passou a ser de R$ 5,95. Já para a tarifa do transporte coletivo urbano o reajuste foi de 6% e a passagem passou de R$ 4,15 para R$ 4,40. O reajuste vale para as três empresas de ônibus que atuam com o transporte regular – Viasul, Chimatur e Reckziegel.

A única no entanto, que além de atender rotas do interior e que também opera na área urbana é a Chimatur. Para o interior o valor das passagens varia de R$ 5,95 até R$ 11,15. Os trajetos mais caros saem da cidade para Linha Saraiva (R$ 11,15), Taquari Mirim (R$ 10,90), Picada Nova (R$ 10,90), Linha Reversa (R$ 10,55) e Travessão Mariante (R$ 10,55).

Niuza lamenta que o salário não acompanha a elevação dos gastos tradicionais (Foto: Cristiano Wildner/Folha do Mate)

O pedido de reajuste foi protocolado pelas empresas em agosto e analisado por consultoria terceirizada. De acordo com a empresa especializada em assessoria contábil e fiscal, sediada na cidade de Progresso, em pesquisa realizada junto a fornecedores da região dos Vales do Rio Pardo e Taquari foi constatado que a adoção da nova tarifa condiz com a realidade.

O novo valor leva em consideração a análise de tabelas de cálculos dos valores necessários para compensar os custos das empresas. Para a elaboração do preço foram levados em conta para o cálculo das tarifas, gastos das empresas de transporte com itens como combustível, óleo, pneus, salário e seguro obrigatório.

Os dois decretos que alteram os valores das passagem, assinados pelo prefeito Giovane Wickert, foram publicados na sexta-feira, dia 29 de novembro, e entraram em vigor no mesmo dia.

ESTADO

  • Já para definir a metodologia para os reajustes do transporte intermunicipal de passageiros de longo curso no Rio Grande do Sul foi aberta consulta pública. O trabalho é chancelado pela Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do RS (Agergs). As contribuições serão recebidas até o dia 16. As sugestões podem ser entregues por escrito, em envelope ou enviadas por e-mail – [email protected] O trabalho da audiência pública será apresentado no dia 18, às 10h, na sede sede da própria Agergs.
  • O Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem do Rio Grande do Sul (Daer-RS) informa que atualmente existem em circulação 20 ônibus e que por ano 50 milhões de passageiros são transportados. O número de viagens por ano chega a 1-5 milhão e para tanto são percorridos 190 milhões de quilômetros.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome