Mais um passo importante para garantir a efetivação de um Centro de Vocação Tecnológico (CVT) em Venâncio Aires foi dado. Depois de chamamento público, três empresas estão habilitadas para apresentarem propostas para criar o projeto executivo de engenharia do prédio. As organizações são de Porto Alegre, Lajeado e Florianópolis (SC). Os envelopes para julgamento da melhor proposta serão abertos às 9h do dia 17, na Prefeitura Municipal. A proposta mais baixa será considerada a vencedora.

Pelo edital apresentado pela Prefeitura, o custo para a elaboração desse projeto não pode ser superior a R$ 37.580,00. Contudo, o projeto prevê algumas especificações, já que a construção se dará em dois módulos. O primeiro ocupará uma área entre 320 e 335 metros quadrados, e a obra poderá custar até R$ 900 mil. Os recursos são oriundos do Governo Federal.

Pelo que está especificado no edital, a primeira etapa deve ser planejada a ponto de que os encaixes necessários para a segunda fase consigam ser feitos de forma funcional e sem sobressaltos. A estrutura física do CVT terá recepção, laboratórios, sala administrativa, salas de aula e banheiros.

EXIGÊNCIAS

Ainda segundo o edital, a vigência contratual será a partir da assinatura oficial da parceria e o prazo total para a execução dos serviços será de dois meses. Além disso, o projeto arquitetônico executivo deverá ter, entre outras questões, apresentação da planta baixa e memoriais descritivos. Também é exigido sondagem geotécnica do local, inclusive com apresentação dos resultados e de relatório fotográfico do serviço para cada furo com as amostras de solo. É necessário apresentar ainda projeto de rede lógica, estrutural, PPCI, hidrossanitário, elétrico e climatização.

CVT DA PROTEÍNA 

O Centro Vocacional Tecnológico de Venâncio Aires, com custo total estimado em R$ 3 milhões, foi pensado em conjunto pela Prefeitura e Universidade de Santa Cruz do Sul (Unisc). Ele será erguido na antiga área da Fundação Ambiental de Venâncio Aires (Favan), em Linha Ponte Queimada.

O CVT local também será o primeiro do Rio Grande do Sul, segundo a Unisc, voltado à proteína animal. Na prática, o CVT vai proporcionar cursos e orientações a agricultores familiares, pensando na qualificação do processos produtivo. Entre eles, conservação do solo e água, e melhoramento genético dos rebanho de leite, gado de corte, ovinocultura, avicultura, suinocultura, piscicultura e apicultura.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome