Menino de 8 anos comemora a publicação do primeiro livro

-

A admiração pelos livros de literatura foi algo que surgiu de forma natural na rotina de Vicente Melchior, 8 anos. Desde a infância, a sala de aula já era considerada a segunda casa do garoto, quando acompanhava a mãe, Márcia Regina Melchior Landim, 41 anos, na graduação e no mestrado. “Enquanto eu estudava, ele estava sempre ao meu lado no bebê-conforto, rodeado de livros e cadernos”, recorda Márcia, que é alfabetizadora e professora de Língua Portuguesa para séries iniciais, mas, atualmente, é diretora da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Doutor Guilherme Alfredo Oscar Hildebrand, em Santa Cruz do Sul.

Alfabetizado pela própria mãe, por conta da pandemia de Covid-19, Vicente tinha apenas 6 anos quando aprendeu a escrever. “Ele sempre teve a preocupação em aprender a ler”, conta a avó, Isabel Landim, 66 anos, que fica com o neto durante alguns dias da semana, enquanto os pais trabalham.

Desde que dominou as palavras, nunca mais parou de ler, fazendo dos livros os seus ‘amigos inseparáveis’. “Quando ele era menor, colocava um livro debaixo do braço e me dizia que ia trabalhar”, recorda Márcia, a inspiração do garoto.

Na casa dos pais, em Santa Cruz do Sul, ele tem um espaço dedicado à coleção de livros. Ao todo, são mais 400 gibis e 100 livros de literatura infantil já lidos, nos últimos dois anos. Os livros da Turma da Mônica, do Capitão Cueca, Homem Cão e Diário de um Banana são os preferidos.

Em dezembro do ano passado, Vicente recebeu um certificado de leitura após ter lido 177 livros na plataforma ‘Elefante Letrado’, no período de 1º de junho a 30 de novembro de 2021, em um projeto adotado na Escola Estadual de Ensino Médio Ernesto Alves de Oliveira, onde ele cursa o 3º ano.

Primeiras histórias

Desde que desenvolveu o gosto pela leitura, Vicente também decidiu escrever. Na semana passada, ele recebeu a primeira publicação de autoria própria, impressa pela Editora Super Autor. O livro ‘Meu Amigo Monstro’ foi publicado através do projeto adotado pelo Centro Educacional Glamour, de Santa Cruz do Sul, onde ele realiza atividades no turno inverso da escola.

O trabalho foi desenvolvido com orientação dos professores e encaminhado à editora para impressão. A obra foi finalizada em 2021, mas só foi entregue aos alunos escritores na semana passada. Uma sessão de autógrafos estava prevista no dia de entrega da obra, mas por conta da Covid-19, a ação foi suspensa. “Vicente ficou um pouco desiludido pois esperava atender uma fila de pessoas à espera do seu autógrafo”, comenta Márcia.

Vicente está sempre lendo quando visita os avós, em Venâncio Aires (Foto: Taiane Kussler)

Segundo ela, esta é a primeira obra publicada por Vicente, contudo, ele já escrevia histórias inspiradas em situações do cotidiano, desde que aprendeu a escrever. Os livros eram de produção caseira, mas já demonstravam a criatividade do pequeno escritor. “Gosto de escrever porque tenho inspiração nos livros”, afirma Vicente, que aproveita para dar uma dica às crianças que também têm este sonho. “Tem que ler bastante. Pode até se inspirar em histórias que têm o mesmo sentido para fazer diferente”, orienta.

Leitura: um hábito diário

Os livros já fazem parte da rotina do garoto e, volta e meia, a família se depara com Vicente sentado com um livro na mão. Segundo a mãe, às vezes, é preciso convidá-lo a fazer uma outra atividade. “Na escola em que eu trabalho eu tenho que incentivar os meus alunos a lerem e o Vicente é diferente, eu tenho que propor outras opções de lazer para ele se distrair com outras atividades”, compara Márcia. Segundo ela, nas horas vagas, ele se dedica às artes. Quando não está lendo costuma tocar teclado e piano, e também frequenta aulas de bateria.

“Perceber que Vicente desenvolveu o gosto pela leitura e escrita me deixa extremamente feliz. O estímulo da família foi muito importante neste processo, pois desde que ele era bebê sempre levávamos ele às livrarias e feiras e presenteávamos ele com livros. A educação surge pelo exemplo. Hoje ele é um grande leitor, porque nos viu fazendo isso desde pequeno”, destaca a mãe, que influenciou o garoto, com o apoio do marido Cássio Fernando Landim, 43 anos, que trabalha como oficial escrevente no Fórum de Venâncio Aires.

Inspirada na rotina do filho, Márcia está concluindo o doutorado, com uma pesquisa na área da linguística aplicada em alfabetização, tendo como tema os preditores de leitura. “O incentivo que surge da família já é meio caminho andado, para que a escola possa desenvolver este trabalho com os alunos”, reforça a professora.

Próximos trabalhos

Vicente já está em fase de produção da sétima obra, chamada ‘Vicente em: o cavaleiro corajoso’, prevista para ser publicada ainda este ano. Ele também já foi convidado a participar da Feira do Livro de Santa Cruz do Sul, no espaço que será dedicado aos jovens escritores.

Histórias de Vicente

  1. Vicente em: na casa da minha avó e do meu avô
  2. Tia Bruna em: procurando um noivo
  3. Vicente em: a turma do rabinete – inspirado nos bichinhos de pelúcia
  4. Gabriel em: vou ser padre – dedicado ao dindo
  5. A ovelha e o lobo em: a perseguição (volume I)
  6. Meu Amigo Monstro – primeiro a ser impresso
  7. Vicente em: o cavaleiro corajoso – em andamento

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Destaques

Últimas

Exclusivo Assinantes