Cento e cinquenta e um dias ou então cinco meses – de 1º de janeiro até 31 de maio – em que o brasileiro trabalha por ano apenas para pagar impostos, sendo que em 2015 deverá destinar 41,37% do seu rendimento bruto para pagar os tributos, de acordo com cálculos do IBPT (Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário).

 

Os impostos que pagamos:

– Imposto sobre Operações relativas a Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS);

– Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza (ISS);

– Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI);

– Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguro, ou Relativas a Títulos ou Valores Mobiliários (IOF);

– Contribuição Social para o Programa de Integração Social (PIS) e para o Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep) – (PIS/Pasep);

– Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins);

– Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico, incidente sobre a importação e a comercialização de petróleo e seus derivados, gás natural e seus derivados, e álcool etílico combustível (Cide).

Tais informações devem aparecer nas notas fiscais e/ou afixadas numa listagem em local visível do estabelecimento, ou por qualquer outro meio eletrônico ou impresso, de forma a demonstrar o valor ou percentual, ambos aproximados, dos tributos incidentes sobre todas as mercadorias ou serviços postos à venda.

 

Produto                   Valor médio vendido         Valor pago de impostoVestuário/Camisa     R$ 80                             R$ 13,60 (16,97%)Carne                      R$ 20 kg                         R$ 8,46 (42,30%)Luz                         R$ 266,57                        R$ 83,33 (31,26%)Internet                    R$ 49,40                         R$ 17,44 (35,3%)Gasolina                  R$ 3,27                           R$ 1,32 (40,15%)