Poço na rua Coronel Vila Nova, entre o Parque do Chimarrão e o bairro Cidade Nova, tem cerca de 60 metros de profundidade (Foto: Débora Kist/Folha do Mate)
Poço no Loteamento Peiter chega a 40 mil litros por hora (Foto: Reprodução WhatsApp)

Com uma vazão de 40 mil litros por hora, o recém-perfurado poço no Loteamento Peiter será, em breve, mais um meio de abastecimento no bairro Santa Tecla e arredores. Essa quantidade poderá beneficiar, diretamente, 2.700 residências, na eventualidade de falta de água na região.

Assim como no Santa Tecla, outros pontos da cidade também contam com poços, perfurados por uma equipe da Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan). No Loteamento Morsch, entre o Parque do Chimarrão e o bairro Cidade Nova, a vazão chega a 25 mil litros por hora e capacidade para 1.600 casas. Já no Bela Vista, o poço ‘produz’ 18 mil litros por hora e pode abastecer 1.150 residências.

Segundo o gerente local da Corsan, Ilmor Dörr, essas vazões significam que cerca de 30% da população urbana não dependeria mais apenas do Arroio Castelhano. “Temos 18 mil ligações na cidade e esses poços poderão chegar a mais de 5,5 mil casas. Serão importantes quando houver alguma dificuldade no abastecimento.”

Ainda conforme Dörr, estes três bairros estão em áreas mais altas e afastadas da Estação de Tratamento de Água (ETA), no bairro Morsch. “Quando falta água, geralmente quem sofre é a ponta, onde mais demora para chegar a água bombeada na ETA (Estação de Tratamento de Água). Então precisamos que os extremos não fiquem vulneráveis”, explica.

CONCLUSÃO

A Corsan do município informa que já houve aprovação de análises preliminares da equipe de geologia e nos testes de qualidade da água. Dessa forma, faltam as obras de revestimento da estrutura sobre os poços, para concluir a instalação, e a ligação deles na rede da Corsan, com água produzida diretamente nos locais.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome