A Polícia Federal desarticou na manhã de ontem, a Operação Panóptico, de repressão ao tráfico internacional de drogas. Policiais federais, com apoio da Brigada Militar, cumpriram 23 mandados de prisão e 18 de busca e apreensão em Porto Alegre, Sapucaia do Sul, Novo Hamburgo, Santa Cruz do Sul, Campo Bom, Estância Velha e Farroupilha. A investigação identificou que uma facção criminosa estabelecida no Rio Grande do Sul estava associada ao narcotraficante brasileiro conhecido como ‘Pavão’, detido no Paraguai, com o intuito de abastecer pontos de droga em Porto Alegre, Vale do Sinos e Santa Cruz do Sul.Os criminosos, apesar de presos no Estado e no Paraguai, mantinham contato constante, gerenciando o envio de drogas para o RS.No decorrer da investigação, iniciada em 2013, a PF prendeu 33 pessoas, apreendeu 1,2 tonelada de drogas, R$ 165 mil em dinheiro, 24 veículos – entre eles um motor-home -, um colete à prova de balas, diversas armas de calibre restrito, incluindo um fuzil AR-15, sete pistolas 9mm e uma submetralhadora.Após várias interceptações de carregamentos de drogas pela PF, a organização chegou a planejar a utilização de uma aeronave para o transporte de 200 quilos de cocaína que seriam arremessados em uma propriedade em Mostardas (RS), ação que acabou não se concretizando.

Foto: Polícia Federal / Folha do MateCarregamentos de drogas foram apreendidos durante a operação
Carregamentos de drogas foram apreendidos durante a operação

O nome da operação (Panóptico), tem inspiração em um projeto arquitetônico do século XVIII, do inglês Jeremy Bentham, onde um modelo de prisão circular, com uma torre central, previa que os guardas penitenciários poderiam vigiar os presos através de pequenas janelas da torre, sem que os detentos soubessem em que momento estavam sendo observados.A operação deflagrada hoje, monitorava os traficantes presos, que seguiam atuando no tráfico de drogas de dentro de presídios gaúchos e paraguaios. A PF não revelou os nomes dos presos na operação.