Casal vivia em péssimas condições de higiene e limpeza (Foto: Alvaro Pegoraro/Folha do Mate)
Casal vivia em péssimas condições de higiene e limpeza (Foto: Alvaro Pegoraro/Folha do Mate)

Foi autuado em flagrante pela Polícia Federal, na quinta-feira, 28, à tarde, o agricultor acusado de manter um casal em situação análoga a da escravidão. O homem de 52 anos foi preso pela Brigada Militar por volta das 16h30min, no interior de Venâncio Aires, depois que a guarnição da Patrulha Comunitária do Interior (PCI) verificou uma denúncia de trabalho escravo.

De acordo com a capitão Michele da Silva Vargas, os policiais militares constataram a situação degradante e desumana em que vivia a mulher, de 39 anos, e seu companheiro, de 29 anos. “A mulher relatou que eles trabalhavam na propriedade há 6 anos e o único valor que recebiam era a quantia de R$ 10, somente aos sábados, valor referente por todo trabalho que desempenhavam na lavoura com o trato do fumo, gado, roçada, corte de lenha e demais referentes a manter uma propriedade rural”, explicou a oficial.

Ainda segundo a capitão Michele, o cartão de Benefício de Prestação Continuada (BPC) e documentos diversos, pertencentes à mulher, estavam em poder do proprietário do local. “Era ele quem recebia o valor mensal e repassava apenas pequena quantidade diária de mantimentos e a mulher ainda relatou que não recebiam materiais de limpeza e higiene”.

Na geladeira, conferiram os brigadianos, havia somente uma pequena porção de arroz e uma de erva-mate. Dadas as circunstâncias, foi dada voz de prisão ao agricultor e as partes foram encaminhadas à Delegacia de Polícia Federal, em Santa Cruz do Sul, onde foi lavrado o flagrante.

Após o registro, a Brigada Militar conduziu o casal para um local seguro e com condições dignas, onde passarão a receber os cuidados da assistência social do município de Venâncio Aires.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome