Integrantes da PCI visitam moradores do interior (Foto: Brigada Militar/Divulgação)

A localização de três bezerros mortos, dentro de um automóvel, em uma localidade no interior de Santa Cruz – e que faz divisa com Venâncio -, deixou a Brigada Militar da região em alerta. Tanto que o comando do 23º Batalhão de Polícia Militar (23º BPM) determinou ações específicas para identificar os criminosos e a rede que funciona por trás de um abigeato.

De acordo com o tenente-coronel Giovani Paim Moresco, serão intensificadas as ações das Patrulhas Comunitárias do Interior (PCIs), para que as pessoas da área rural tenham maior contato com os brigadianos. O oficial explica que há uma cadeia delituosa que se estende desde o furto do animal até a venda da carne e que isso precisa ser combatido. “Se há quem comete o abigeato, certamente é porque há quem compre a carne”, assegura.

Esta decisão do comandante do 23º BPM veio após a localização de um automóvel, na madrugada da quarta-feira, 26, às margens da RSC-287, na localidade de Linha Pinheiral. Dentro do veículo, um Ômega Suprema, com placas de Tramandaí, foram encontrados três terneiros abatidos.

A apreensão foi feita por integrantes do Comando Rodoviário da Brigada Militar (CRBM) de Santa Cruz do Sul, mas ninguém foi preso. O caso foi repassado à Polícia Civil de Vera Cruz, pois os animais foram furtados de uma propriedade daquele município.

Em Venâncio Aires, a BM receberá reforço no efetivo – cinco novos soldados chegam em alguns dias – e será possível intensificar as ações da PCI. Segundo o tenente Leandro Altemann, “com o incremento no efetivo, atuaremos com mais intensidade na área rural”.

O novos soldados, segundo promessa do coronel Marcelo Gomes Frota, secretário adjunto da Secretaria de Segurança do Estado, chegam ao município na primeira quinzena de março.

PREOCUPAÇÃO
Moradores de Vila Arlindo, que faz divisa com Linha Pinheiral, seguem apreensivos com os abigeatos registrados na localidade. No fim do mês de janeiro e começo de fevereiro, seis animais foram abatidos dentro das propriedades, fato que nunca havia se registrado lá.

A PCI e integrantes do serviço de inteligência fizeram algumas ações naquela região e nenhum novo caso foi registrado.

AGENTE PENITENCIÁRIO É PRESO POR ABIGEATO

Quem pensa que o crime de abigeato está associado a pessoas que não têm outra atividade e que ganham dinheiro desta forma, está enganado. Na sexta-feira da semana passada, 21, uma guarnição da Brigada Militar do município de Santiago, na região central do Estado prendeu três adultos e apreendeu um adolescente, enquanto praticavam um abigeato. O crime foi na localidade de Passo do Cardoso e foi notado pelo dono da propriedade, que rendeu as quatro pessoas e acionou a BM. Entre os maiores de idade está um agente penitenciário de 42 anos, que já trabalhou na Penitenciária Estadual de Venâncio Aires (Peva). Segundo apurado pela BM, ele, um filho de 14 anos, um filho adotivo, de 21 anos, e mais um rapaz, de 19 anos, haviam abatido uma rês, com um tiro, e se preparavam para levar a carne, quando foram flagrados. Com eles, além da rês abatida, que rendeu cerca de 130 quilos de carne, foram apreendidos uma espingarda, munição, duas lanternas, uma corda, seis facas, duas serras e uma balança. Todos foram encaminhados à Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA) de Santiago, onde foi lavrado o flagrante. O agente penitenciário foi encaminhado ao presídio de São Vicente do Sul e os outros dois adultos, à casa penal de Santiago. O menor de idade foi entregue a um responsável. A Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe) informou que o agente foi afastado das suas funções. O delegado Guilherme Milan Antunes, titular da Delegacia Especializada em Crimes Rurais e Abigeato (Decrab), revelou que o agente penitenciário possui antecedentes criminais por posse de entorpecentes, vias de fato, ameaça, injúria e lesão corporal culposa. O nome dele não foi divulgado.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome