Ações diárias reduzem os índices criminais (Foto: Brigada Militar/Divulgação)

Mesmo diante de reduções atingidas no ano de 2019, a Brigada Militar, através do Comando Regional de Polícia Ostensiva do Vale do Rio Pardo (CRPO), conseguiu uma redução ainda mais significativa dos indicadores criminais neste ano. A exceção dos homicídios, os demais índices apontaram queda acentuada. O furto de veículo, por exemplo, caiu mais de 300%. As ações preventivas, associadas ao isolamento social motivado pelo novo coronavírus, são fatores apontados para a excelência destes índices.

O balanço apresentando quinta-feira, 7, pelo coronel Valmir José dos Reis – dos indicadores criminais deste ano, em comparação com o mesmo período no ano passado -, revela que o roubo de veículos, que é um dos principais tipos de crime com potencial para evoluir para o latrocínio, diminuiu 150% em relação a abril de 2019. Já no furto de veículo, a queda é de 313,04%.

Para o comandante do CRPO, fator que deve ser levado em consideração nesse resultado é o isolamento social, que acarretou pouca circulação de pessoas e de veículos nas ruas, e a identificação e prisão dos autores desse tipo de crime no ano passado e nos primeiros meses deste ano.

Outros indicadores analisados pelo Comando Regional também acompanharam essa queda, como é o caso do roubo a estabelecimento comercial, financeiro e de ensino, que reduziu 166,66% em relação ao mesmo período em 2019. “É um resultado alcançado através de operações realizadas nos centros urbanos e em razão do fechamento do comércio em geral como medida preventiva à pandemia”, explicou o coronel Reis.

Da mesma forma, o isolamento social também contribuiu para a redução dos roubos a pedestres, contabilizando queda de 300% relativamente ao mesmo período do ano passado. “Também é reflexo das ações desenvolvidas com as prisões dos autores desse tipo delitivo e do isolamento social”, diz o oficial. O roubo a residências, se comparado com o mesmo período de 2019, obteve queda de 22,22%, porém ainda ocorrem alguns casos isolados, principalmente no interior dos municípios. “Mas com ações de inteligência e de policiamento ostensivo por meio das Patrulhas Comunitárias do Interior (PCI), estamos enfrentando este tipo de delito”, argumenta o coronel.

Da mesma forma, o abigeato se mantem com índices baixos, à exceção da região Centro-Serra, onde apresentou aumento no número de ocorrências, motivado pela valorização do preço da carne com o aumento de exportação. “E também pelas facilidades encontradas pelos abigeatários, que agem durante a noite e em locais ermos. Contudo, já estão sendo efetuadas ações de inteligência e de policiamento ostensivo com operações nos locais e turnos de maior incidência”, avisa o comandante.

Já os homicídios apresentaram elevação em relação ao mesmo período no ano passado. Para o coronel Reis, a grande maioria das mortes se deu em razão de dívidas do tráfico de drogas, onde aos devedores são executados).

Em Venâncio os homicídios tiveram queda. Enquanto seis pessoas foram mortas entre 1º de janeiro e 7 de maio do ano passado, este ano foram quatro casos, sendo que um foi um feminicídio.

Deixe um comentário

Digite seu comentário
Digite seu nome